Difusas palavras...


Sente o toque, olhar que denuncia um amor que não morre no tempo em que se entrega. Pára, escuta as batidas que o peito ecoa dentro da tua alma, dentro daquele coração que sobrevive, que vive com o amor que dele emana. Olha, olhando, olha, sentindo cada fragmento disperso que se torna inteligível ao olhar de quem ama, de quem forma a sua vida de lutas e recordações felizes. Tudo tem um tempo, ouve-me, tudo tem o seu tempo, tudo muda com os dias e a maturidade faz com que se queira com mais firmeza, com que se lute com mais determinação. Há coisas que não se explicam, há momentos que não se descrevem, serão eternamente e somente vividos, sentidos naquele momento, por aquelas pessoas, naquele capítulo de uma história que será sempre nossa. Na vida tanto tem o seu avesso, tanto tem a sua razão, por isso não questiones demais, sente sim demais porque, desta forma, encontrarás as respostas que pensas não existirem, aquelas questões que te prendem. Vive o toque, vive o olhar, porque esse, esse não engana, não esconde, o olhar denuncia um grande amor, um forte sentimento por mais silêncio ou ausência de palavras que possa existir. Nunca deixes escorrer por entre os dedos o amor que te faz viver o coração, não cales a voz, não desvies o olhar, vive, mas vive por ti, por o que te faz bem, vive hoje, ama hoje, luta hoje, porque o amanhã nunca saberás como será...





Comentários

  1. admiro a tua capacidade de a cada dia nos proporcionares palavras tão lindas e tão profundas!

    ResponderEliminar
  2. Boa noite amigo! :)
    Hoje tentarei ser muito sunsinto...
    Fico contente por ter-te alegrado com o que escrevi acerca de mim e pelo facto de com os teus concelhos e palavras acertivas, que me fizeram a ajudaram a mudar de atitude perante esta situação que me afeta...
    Como hás de perceber tudo o que li, parecia-me ter uma ligação com o meu dia de hoje e com os concelhos que me deixas-te. E para já fica-me marcado a imagem final e o seu texto "e se não houver amanhã?"
    Agora vivo um dia de cada vez e tento não pensar e procuro sentir! Sentir a presença de um amor, sentir o que me parece serem verdadeiros.
    E para já, apesar do "forcing" que foi feito, nada me parece acontecer e eu continuo a ser eu, sem qualquer preocupações...

    Espero não ter sido confuso!

    Um grande abraço e obrigado por tudo!
    PS: estou a "cair no teclado"... :)

    ResponderEliminar
  3. Ler este texto e ouvir a música que colocaste deixou-me completamente arrepiada.
    "Tudo tem um tempo, ouve-me, tudo tem o seu tempo, tudo muda com os dias e a maturidade faz com que se queira com mais firmeza, com que se lute com mais determinação (...) não cales a voz, não desvies o olhar, vive, mas vive por ti, por o que te faz bem, vive hoje, ama hoje, luta hoje, porque o amanhã nunca saberás como será..." Levo sempre daqui um bocadinho de coragem para enfrentar os meus dias, as tuas palavras são bastante motivadoras e tocam-nos mesmo.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Verdade! Nunca sabemos o dia de amanhã e de facto deveríamos viver intensamente cada dia que passa como se fosse o último.
    Mas às vezes a rotina fatigante que temos impossibilita-nos a viver o que tanto desejamos, terá de haver um grande esforço da nossa parte, mas conciliar tudo não é fácil.
    Gosto de te ler, já te tinha dito, além de que me identifico muito com a tua escrita, mas pergunto-me, serás que segues as tuas palavras no rumo da tua vida? Ou é apenas a tua alma a falar e aconselhar os outros? :)
    Beijinho e continuação :)

    ResponderEliminar
  5. Compreendo-te perfeitamente.
    Nós concentramo-nos muito nos nossos sonhos e desejos para um futuro próximo, idealizamos uma coisa que mais tarde até pode sair outra. Faz-me lembrar em casos que aconselhamos os outros, mas quando nos acontece a nós parece que os conselhos nos fogem e às vezes temos respostas para as situações, mas difícil é agir e ir em frente.
    Ao menos sonhamos o que já não é mau, pior seria não termos sonhos nem projeções de vida.
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  6. estou sem palavras. há muito tempo que nao lia um texto tão cheio de força! obrigada por este momento. beijinho *

    ResponderEliminar
  7. E eu tinha imensas saudades dos teus comentários sempre cheios de carinho! Assim como dos teus textos magníficos. Falas tão bem de amor! Espero que o vivas também intensamente*

    ResponderEliminar
  8. Que post lindo meu caro! Como sempre, emocionante!!! Bom estar sempre por aqui! Abraço apertado!

    ResponderEliminar
  9. Sempre digo que as palavras não são nada, se não existir alguém que as torne em algo, e tu, tornas as palavras em algo tão verdadeiro, tão suave...ler o que escreves acalma e agita. Portanto, vou ler-te hoje, porque amanhã, ningém sabe se o poderei fazer. Obrigada e desculpa a intromissão.

    ResponderEliminar
  10. Fico deveras contente que tenhas apreciado as minhas palavras. Beijos

    ResponderEliminar
  11. Olá

    Achei muito interessante a escolha musical gostei, acho que fica muito bem com o titulo, faz pensar nas coisas difusas e enubladas que nos cobrem.

    Achei muito interessante tambem a imagem de hoje, uma pergunta muito interessante, gostei.

    Falando agora do texto, como sempre é algo muito interessante e bem composto, faz nos pensar como sempre e nota-se a paixão e sentimento de escrita que trazes contigo a cada post.

    Forte Abraço

    ResponderEliminar

Enviar um comentário