Aquele que eu sou...


Hoje escrevi um pouco de mim, um pouco do que desejo, um pouco daquilo em que acredito. Hoje escrevi de presente, de passado mas sobretudo hoje escrevi de futuro porque, no fim de contas, o futuro será sempre o espelho dos sonhos que tenho dentro de mim...


Instantes, somos feitos de instantes, de momentos que recordamos, de sabores que lembramos e de saudades que tatuamos. Somos o inacabamento de uma história em construção, somos o receio de errar, somos a voz do coração, somos o sonhar com um amor, com uma história que se quer feliz. Vivemos sobretudo na procura de sermos melhores, de termos o que projectarmos e de sentirmos cada beijo, cada abraço que deixam de ser utopia passando a uma realidade vivida pelos nossos corpos. Somos alma, alma livre que não encontra prisões, vivemos de amor, vivemos de gestos que falam mesmo nos silêncios. Cremos nos nossos caminhos, somos a fragilidade de uma lágrima ou até mesmo a força de um erguer após uma queda, após um tropeção que a vida nos dê. Somos feitos de tudo e por vezes sentimentos que somos nada, que somos bem menos do que um dia esperamos para nós. Vivemos dias bons, dias maus, somos dualidade mas é nela, é nessas formas antagónicas, que encontramos o nosso equilíbrio, que formamos os nossos caminhos, que sedimentamos as nossas personalidades. Eu aprendi a ser assim, a falar de sentimentos, porque no final de tudo, são eles que dão significado ao meu seguir, são eles que me fazem seguir estes caminhos em detrimento dos atalhos que oferecem uma felicidade efémera que todos alcançam mas que todos acabam por perder. Falo de amor, falo porque é assim que concebo a vida, é com ele que podemos nos deitar de noite sabendo que o sonho não estará presente apenas no sono mas no dia seguinte, com mais uma história, com mais um pedaço de nós vivido à nossa maneira. Acredito nas nossas verdades, nas nossas vontades, nas nossas prioridades, acredito que somente vivendo o que queremos, o que desejamos, poderemos dizer que vivemos uma vida nossa, um momento nosso, o nosso momento...




A vida é um momento, um simples momento que não prevê ensaios,
entra-se no teatro da vida e, a partir desse momento, ou vives, ou apenas ficas a olhar como telespectador para quem vive...



Comentários

  1. "Eu aprendi a ser assim, a falar de sentimentos, porque no final de tudo, são eles que dão significado ao meu seguir," e que bem que falas deles. Mais um texto encantador, escreves com uma perfeição, que só visto memsmo!!
    Foi muito bom ler mais um pouco de ti :)

    Bom feriado!!

    ResponderEliminar
  2. gostei bastante mesmo ! cada palavra tua é muito bom ler-te continua assim bom feriado um beijo

    ResponderEliminar
  3. És encantador, e a forma como desenrolas e descreves o que sentes é tão magnifica. Espero que este futuro te reserve tudo isso, uma forma de viver apaixonada, repleta de sentimentos e de boas vivências, porque pessoas que sentem merecem mesmo isso.
    Um beijinho*

    ResponderEliminar
  4. E mais uma vez deu gosto ler as tuas palavras.
    beijos*

    ResponderEliminar
  5. Novamente refiro a música, que mimo! por acaso sigo este pessoal, sou um fã digamos xD

    O que me prendeu neste texto foi: "somos feitos de instantes" se me permites, um dia vou fazer uma fotografia com esta frase, claro que terás todo o crédito! já anotei!!

    Forte Abraço

    ResponderEliminar

Enviar um comentário