Desde que te ouças...

Agarra o teu querer, luta, enfrenta fantasmas, rompe as barreiras que tu crias. Foge do mundo, refugia-te na tua vontade, faz do teu sentimento habitação em que te albergas, torna toda a tua história numa compilação de momentos bons e maus. Corre, cai, erra, aprende, nada na vida te será dado sem nada fazeres, nada saberás se te guiares pelas palavras dos outros. Tens de viver, tens de caminhar por ti e nunca ao colo de um outro alguém. Sente a firmeza das tuas escolhas, sorri, chora, expressa tudo o que te vai na alma, não guardes, não te enganes. Batalha de forma frenética por aquilo que tanto queres, vive o momento, o teu próprio momento.
Não te guies pelos olhares que não são os teus, não acredites nas “verdades” que te contam sem tu mesmo(a) teres visto, sentido. Grita ao mundo o teu sentimento, sente o coração, pára, toma uma chávena de chá e orgulha-te do que és. Vê-te ao espelho, não olhes apenas as roupas que te cobrem ou a massa corporal que te envolve, olha a tua alma porque essa, sim, é que te define, é que te torna uma pessoa especial. Foge do que te faz mal, sorri até as tantas, encontra amigos, abraça quem queres, beija quem mais desejas. Sente a intensidade de cada momento, repara nos pormenores, ouve os silêncios, tanto é dito neles e tão poucas pessoas o conseguem escutar. Sai de casa, abre as janelas, dança na chuva, sê “louco(a)” nas tuas aventuras.

Salta o abismo, atira-te de cabeça, forma história, tira fotografias, cola tudo na parede do teu quarto. Sente a pulsação, esquece as horas, rompe com as distâncias e vive, vive cada fragmento dos teus dias e nunca te impeças de ser tu mesmo(a) repleto(a) de defeitos, de virtudes, de sonhos, da tua própria forma de sonhar...



Comentários

Enviar um comentário