Entre e ter e não ter...

Quantas vezes dás por ti a sonhar? Quantas vezes ficas acordado(a) até tarde relembrando cada sorriso, admirando cada pormenor que para os outros é imperceptível mas para ti faz toda a diferença? Quantas vezes sorris apenas com uma simples imagem ou até mesmo com uma música que te faz lembrar? Quantas vezes?
É nestas alturas que vemos que estamos vivos, que o amor entra por nós, percorre este nosso corpo desencadeando uma série de emoções que antes pareciam tão adormecidas. Começamos a dormir menos, a adormecer com um sorriso no rosto e a acordar lembrando aquela pessoa, aquele olhar, aquela forma de ser. Nesse momento começas a gostar, a sentir, mesmo sem querer que o amor cresça mas, na verdade, não o podes parar, não o consegues parar, porque o amor entra em ti mas tem vida própria.
Quando se fala deste assunto do coração, a razão é posta de lado, pensar de mais, faz viver de menos e, por momentos, é bom sermos insanes, termos aqueles momentos de insanidade que nos façam arriscar, que nos façam dar um primeiro passo. Podemos ganhar, perder, ficar ou nem sequer mais ver, mas no amor é mesmo assim, tudo tem imprevisibilidade mas é isso que nos torna mais atractivos  é isso que nos leva a uma adrenalina que, por vezes, nos tira até a própria voz. Vivemos num mundo em que o amor é tão esquecido, banalizado em discursos de gente pequena pensando ser grande ou de pessoas que apregoam ser o que na realidade não são. Sempre que encontrares um amor, um amor simples, humilde, um amor em que não são precisas palavras, em que o tempo dita o caminho, agarra-o, junto a ti, porque bem pode ser o amor que tanto esperavas, aquela história que tanto sonhavas.

O amor não é feito de grandes coisas, de grandes promessas, de grandes demonstrações, um amor de verdade, reside naquelas duas pessoas, alimentam elas mesmas e não é preciso mais ninguém ser alimentado. São gestos fortes que me cativam, pessoas decididas, pessoas que têm consigo um mistério e não uma banalidade que lhes mistura no meio de tanta gente. Eu gosto de falar de amor, de o sentir, gosto de respirar todas estas linhas, porque ao acreditar vou avançando, ao acreditar vou ainda sabendo sonhar. E tu? Tu sentirás o amor em ti? Ou esperas que o momento chegue sem nada fazeres?



Comentários

  1. Maravilhoso, há tempos não passava por aqui. Me agrada muito!

    Venha ver-me, ler-me...

    http://lysfernanda.blogspot.com.br/2013/09/do-po-aco.html

    ResponderEliminar
  2. Porque "embora o amor possa ferir, acho que ele também é capaz de curar."
    Porque o amor vê-se nos detalhes.
    Porque o sonhador é que é o homem da ação e eu não pretendo ser senão uma sonhadora. Porque sonho, muito, claro que sim... mas mais importante que sonhar é construir a realidade...
    No meio de tanta ilusão o que ficou foi dor, lágrimas, cicatrizes, por isso hoje vou com mais calma... porque nem toda a gente tem a mesma capacidade de amar... mas mais vale um titanic afundado do que uma barco que não vai a lado nenhum como nos diz pedro chagas freitas... por isso mantenho os sonhos estão comigo e um dia serão vividos, quero acreditar que sim...que serão pela pessoa certa...que juntos vamos construir o nosso porto de abrigo, que será indestrutível...quero viver uma certeza.

    Boa noite*

    ResponderEliminar
  3. Amei! principalmente a última parte. Sabes bem o quanto gosto de te ler, é sempre bom passar por aqui, este cantinho tão... cheio de amor! :)

    beijinhos*

    ResponderEliminar
  4. Bem verdade...continua...com essa força....com todas as emoçoes...e mistério sempre acompanhando o deslizar das palavras

    ResponderEliminar

Enviar um comentário