(Des) continuo...


São palavras, palavras meias,
Sentimentos vivos nas mais emaranhadas teias,
Vidas vividas em prosas contidas,
Vidas dispersas em portas abertas.
São copos, ora cheios, ora vazios,
Sonhos vividos entre mares e rios,
Simplicidades crescentes em peitos crentes,
Abraço que aperta, olhar que desperta.
São apenas palavras, palavras vividas,
Caminhos seguidos em silêncios proferidos,
Gargalhadas guardadas e felicidades contidas,
Estandartes de vontades em versos sentidos.
É a garra de viver, a sede de ter,
A descoberta do infinito que está por viver,
Sou apenas eu, tu, nós,
Numa história dividida em que não estamos sós...



Comentários

  1. Amo a música*
    btw
    :)
    tem um bom fim de semana, diverte-te muito, ama muito, acredita muito**
    bjinho

    ResponderEliminar
  2. Como sempre, adorei! Escreves tão mas tão bem, não me canso de passar por aqui.

    um beijinho*

    ResponderEliminar
  3. É mesmo bom saber isso. Muito obrigada <3
    beijinho

    ResponderEliminar
  4. Tão simpático ! É muito bom saber isso *.*
    E é mutuo !
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  5. Olá André! Continuas a surpreender-me com as tuas bonitas palavras poéticas...
    Gostei bastante.

    Um beijinho e Bom fim-de-semana :)

    ResponderEliminar
  6. poema lindo ! :) muito obrigada, eu também gosto bastante de ler as tuas palavras.

    ResponderEliminar
  7. Adorei! Escreves muito bem :)
    R: Oh, obrigado pelas palavras, a sério! Abraço!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário