Solidão...


Hoje deixo-vos um texto diferente, espero que gostem. Coloquem a música e deixem-se guiar pela história que vos conto, sintam cada sentimento antagónico, cada partida sem chegada. Tenham um bom Sábado (Aviso que isto é uma história e que em nada tem a ver com o meu estado de espírito) :)
Solidão, passos pesados que não suportam este meu corpo. São horas perdidas, esquecidas promessas caídas por este chão, espalhadas nesta vida que não sabe viver. São lágrimas dolorosas, espectros que se alimentar da minha própria dor, destas escaras que pelo meu corpo habitam. Sofrimento em forma de gente, gestos mudos, gritos interiores que ninguém ouve, em que ninguém me estende a mão. É o aqui ficar, caído, esquecido por tantos, e nem rostos mais conhecer. Definho nesta ausência de sonhos, nesta melancolia amarga de uma partida desesperada. Sinto esta solidão, esta indiferença correr-me nas veias, correr no negrume das paredes desta casa. É a frustração de lutar e perder, as vitórias inglórias de um dia sem sol, é o partir, o meu próprio partir. Resta esta despedida, estas letras gastas escritas em folhas rasgadas, rasgadas em momentos de uma fúria que me levaram à loucura, a esta insanidade que me consome, que me rouba tudo o que um dia parecia ter futuro. Caminhos inversos, versos dispersos e um pouco de luz, uma luz que me ilumina o corpo, que não me aquece a alma. Final presente, tão almejado por mim, tão pedido nestes tempos em que as barreiras são maiores que eu, em que as pedras agarraram-se a este meu corpo estrangulando o meu próprio viver. Hoje ouço as melodias inacabadas que nem consigo completar, hoje apenas toco este velho violino na esperança que a música me leve para um outro lugar, para o meu lugar. Ontem fui um copo cheio, hoje sou apenas um copo vazio que ninguém mais se lembra de encher...



Comentários

  1. Obrigado pela tua passagem e comentário no meu cantinho. Este teu post está muito lindo mesmo , apesar de triste , lindo *

    ResponderEliminar
  2. Adorei! ainda bem que segui o conselho de por a musica, lindissima! (adoro violino)
    este texto fez-me lembrar uma das minhas passagens:
    "e naquele dia tao triste, so a saudade me abracou e so a saudade me levou com ela". De facto nao ha maior solidao do que sentirmo-nos sos rodeados de gente, em que o tudo passa por nos mas nada fica e nada nos aquece a alma.
    excelente texto :)

    ResponderEliminar
  3. Bonito texto... Então hoje que me senti meia em baixo, encaixou bem no meu espirito.

    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  4. Nossa, esta tão lindo e com a musica entao....*o*
    É obio que gostei imenso mesmo ;D Bjinho ;D

    ResponderEliminar
  5. Uau! *w*
    Tão lindo...!
    Eu muitas vezes deixo-me levar pela tristeza e pela solidão...e com este texto compreendo que não sou só eu que se sente assim, perdido, por vezes...

    Haverão sempre pessoas a entrar e a sair das nossas vidas. Algumas, nunca ou quase nunca nos recordaremos delas. Outras, apesar de ausentes, distantes, estarão sempre ali sempre presentes na nossa memória. Haverá também aquelas a quem quisemos tanto e demos tanto...e no final nos abandonam por algum motivo qualquer...alguma razão inexplicável...algum medo absurdo...e ali ficamos nós, sozinhos, abandonados, entregues ao nosso destino...

    Não é fácil lidar com a Solidão. Não é fácil lidar com a perda. Dói. Muito. Mais do que é possível imaginar, mais do que é possível descrever em palavras. Fechado entre 4 paredes, de uma casa, de um quarto...ou mesmo no meio de uma multidão...não há pior solidão do que aquela em que estamos no meio de quem nos ama e em que nós nos sentimos sós...porque falta alguma coisa...

    Também adoro violino. A música é perfeita e será a minha companheira durante esta noite. ^^

    Abraço :3

    ResponderEliminar
  6. Meu bem o que escrever sobre essas palavras lindas e tão dilacerantes. Nossa a sinfonia deixou as letras ainda mais vivas e latentes. Derreti-me por completo agora. Lembrei-me da solidão e da desesperada angústia de suprirmos essa ausência. Nossa, escreves com toda a força que tens e isso deixa cada verso ainda mais real e tocável. O que falar desse violino ao fundo? Maravilhoso, me deu uma vontade de sair bailando pela sala sozinha, hum... que dom.

    ResponderEliminar
  7. Ahhh, Parabéns querido por ser um dos escritores mais apaixonantes que já vi. Para mim sempre serás o mais encantados dos poetas, parabéns André!

    ResponderEliminar
  8. Essa música está me inspirando demais, altos devaneios nesse minuto! beijoss

    ResponderEliminar
  9. Descreveste tudo tão bem, adorei.
    E obrigada pelas tuas palavras.

    ResponderEliminar
  10. Anima-te moço! Há um mundo lindo lá fora, cheio de pessoas e coisas maravilhosas a descobrir! Só não "o" vê, quem está focado no passado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas eu estou animado, apenas temos de ir variando e mostrando outras sensações que não seja só o "cor-de-rosa" do amor.
      E o passado, o passado lá está e fica lá muito bem e o futuro, o futuro será o espelho do que se quer, porque o que não se quer, fica pelo caminho :D

      Eliminar
  11. http://falo-que.blogspot.pt/2013/03/solidao.html

    ResponderEliminar

Enviar um comentário