Memória...


Uma carta escrita ao som de John Mayer - Wherever i go

Sentei-me na vontade de te escrever, sobre o parapeito daquela janela conseguia sentir a brisa fresca da memória que em mim não se dissipava, aquele aroma de campo que de ti me fazia lembrar. Por momentos parei, tentei pedir permissão à memória mas o coração já há algum tempo tinha começado a rabiscar aquelas folhas que eram o descrever de tudo aquilo que eras. Passaram tantos anos, tantas histórias e caminhos que não se cruzaram, foi o viver de outras vidas, o conhecer de outras pessoas, o respirar outro ar, o crescer de um outro sonhar. Foram outos destinos, outras escolhas mas a recordação, a tua presença residiu em cada olhar meu, a presença e aquela imagem espelhada nas paredes desta casa que tão bem te conhecem. Não precisei pensar de mais, porque o sentimento, aquele meu sentir, determinava cada letra, cada frase transcrita de uma forma límpida, clara como as águas reluzentes que desta janela consigo avistar. Há coisas na vida que não têm preço, que não tem justificação, são perguntas sem resposta, respostas que não pertencem a nenhuma pergunta, porque quando se fala de amor, porque quando se vive um verdadeiro amor, nada se apaga e tu, tu nunca foste folha rasgada num livro que ainda tem o teu nome...
Com amor,
Pedacinhosdemimparati


Só tenho de agradecer a todos pelos votos, continuaremos a caminho, nada feito sem esforço e se queremos muito, esse muito requer luta. Continuem a ajudar, continuem a tirar um minuto do vosso tempo para que consiga chegar mais longe.  Beijos e Abraços :) 

Comentários

  1. Uma carta linda, escrita ao som de uma excelente banda sonora. Gostei muito :)

    ResponderEliminar
  2. Lindíssimo e inspirador :)
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  3. John Mayer é John Mayer...
    Quanto ao texto, quando passares no meu cantinho perceberás porque digo que esta carta poderia ser minha. Não podia concordar mais quando dizer que de um amor verdadeiro nada se apaga, no meu caso, por muito curto que ele seja. Um carta magnifica.

    Um beijinho

    ResponderEliminar
  4. Também já votei! Só falta um pedacinho assim! :D

    Mis um texto lindo! Realmente tu tens um grande talento e dá gosto ler-te! E que sorte tem a tua musa inspiradora! ;)

    Abraço :3

    ResponderEliminar
  5. Continua... Quando me dizem "Os homens são todos iguais" Eu respondo " Eu e o autor do pedacinhos de mim para ti contrariamos essa teoria" ;)

    ResponderEliminar
  6. Oh *.* Esta carta está tão linda! Aqui sim, se lê amor...

    ResponderEliminar
  7. Sorry por nunca mais ter respondido, mas fiquei por uns tempos distante disto...mas já voltei e vim logo ver o teu blog, fiquei feliz por saber que ainda escreves *o* e a carta está super linda, como sempre ;D

    ResponderEliminar
  8. Ora essa, nao tens nada que agradecer...qualquer coisa, sabes que estas a vontade ;D
    É bom saber que gostas *o* e concordo plenamente contigo mesmo ;D bjinho para ti também ;)

    ResponderEliminar
  9. eu ja deixei hje o meu voto :)
    e esse texto esta lindo (ahhh John Mayer, impossivel nao gostar). as paginas essas o vento pode levar, mas nunca os sentimentos que um dia deram origem as palavras, esses sao paginas eternas :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário