Vontades...


Somos o instante que passa e não quer passar. Somos o sonho que se sonha, a vontade que se tem, o desejo que se vê nascer. Somos a prosa inacabada, o verso que fala de amor, o dia que encontra a noite em que nos abrigamos, em que nos perdemos por entre roupas despidas e gestos cúmplices. Somos o agarrar com firmeza, o querer sem tempos, o viver os momentos sabendo que o amanhã poderá nem existir. Somos o recordar, o saudar, o querer amar, sem preocupações, desmistificando vida, descomplicando a história. Somos quem quer e não quer ver, quem sente o que diz, quem guarda na voz os segredos da sua alma. Somos promessa cumprida, história erigida sobre um manto de neblina. Somos o espelho de um viver em construção, somos os alicerces que se fazem de betão para que tudo seja duradouro, para que não vivamos mais uma efemeridade. Somos o saber estar, o saber querer, somos quem descobriu por si o que era amar, somos quem não sabe o que é esquecer. Somos mãos apertadas, somos palavras rasgadas, somos um beijo apaixonado, um olhar trocado e uma história que além de presente encontra um passado. Somos tudo isto, ou então nunca o fomos, somos tudo isto ou então ainda o seremos mesmo sem nos darmos conta. Somos um pequeno momento, ou então seremos o nosso grande momento se nos dispormos a viver o que a vida nos dá, aquilo a que não podemos fugir...


O mais real caminho faz-se vivendo, a mais verdadeira verdade cria-se vendo, o mais forte sonho realiza-se lutando, a maior história de amor surge arriscando. Nada é nos dado sem que façamos de nós os motores da nossa história, as personagens principais da nossa vida...



Comentários

  1. Seremos eternamente aquilo que ousarmos ser, aquilo que cativarmos, aquilo que mais cedo ou mais tarde nos acontece. Somos a nossa própria vida, somos quem escolhemos ser, ontem, hoje e sempre.
    Este texto está com uma doçura e um misto de paixão e ternura fantásticos. A música é maravilhosa.
    Um beijinho André*

    ResponderEliminar
  2. Somos aquilo que desejarmos ser, basta acreditar e ter garra para tentar concretizar aquilo que nos vai na alma e na importância que levamos os nossos sonhos. Não é fácil, a própria vida não é um mar de rosas, contudo só depende de nós sermos melhores e vivermos bem connosco próprios.
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  3. escreves prosa como se fosse poesia. não que as frases rimem mas pelo que escreves entre as linhas, no espaço das palavras. pelas pequenas marcas que realças. pelos pensamentos no final do texto que são como a cereja no topo do bolo. consegues o equilíbrio ténue entre a ilusão e a realidade e ser suave a fazê-lo.

    ResponderEliminar
  4. somos aquilo que somos, aquilo que queremos ser. a nossa vida somos nós. tudo o que fazemos define o nosso 'somos'.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário