Vive a tua vontade...


Falaram-me de amor, silenciosamente, falaram-me de amor. Contaram o que era esse sentimento, o que se sentia, como se pensava, como o agarrávamos. Contaram cada pormenor do amor, cada significado, cada promessa, cada fragmento do que era vivido, sentido, escolhido. Falaram-me de amor e eu, eu formei ele em mim, reinventei cada momento, cada gesto, cada olhar à minha forma, à medida do meu sonhar. Descobri por mim o que era o amor, descobri entre as vielas e ruas que fui seguindo, pelas escolhas que fui tomando e pela forma como passei a encarar a vida, a conceber a minha felicidade. Fui um experimentador das minhas próprias vivências, errei nos planos mas não errei no destino, voltei atrás, reergui desejos, sedimentei vontades e voltei a acreditar. Neste mundo, neste mundo do amor, os dias são diferentes, ora se perde, ora se ganhe e desengane-se quem diz que pode viver sem ele, porque não o pode. Uma desilusão é uma desilusão mas sabe sempre tão bem quando se volta a acreditar neste sentimento, quando voltamos a viver mais uma história, mais um começo, mais uma verdade que se vê presente em cada momento do nosso próprio quotidiano. Acreditarmos em nós é preservarmos o que de melhor temos, é sorrirmos por nós, amarmos por nós, sonharmos por nós, vivermos por nós e haverá algo melhor? Haverá algo melhor do que dizermos que esta vida que vivemos é nossa? Que ela é fruto das nossas escolhas, das nossas vontades? Deveremos sempre viver ao máximo, agarrar o que nos faz feliz, quem nos faz feliz, deveremos amar sem tempos, sem momentos, sem barreiras, deveremos amar uma vida inteira, da forma mais verdadeira, da nossa forma. As palavras que te dizem, os sentimentos que te mostram só têm significado se serem vividos, sentidos, repartidos por ti, somente por ti porque, nesse instante, estás a viver, estás a construir o teu presente, a projectar o teu futuro...




Tudo tem um momento, tudo tem um tempo, tudo tem uma razão,
 tudo tem um resultado, tudo tem uma explicação. 
Tudo é vivido, tudo é sentido, tudo é lembrado, nada é esquecido...




Comentários

  1. Olá Olá,

    Antes de mais deixa-me que te diga que aquela imagem do: Se vamos ter rugas que seja te tanto rir é maravilhosa, acreditas que ainda ontem coloquei gosto numa partilha desta mesma imagem?!

    Olha com esta frase dás-nos um importante e valiso ingrediente para a felicidade: "Fui um experimentador das minhas próprias vivências, errei nos planos mas não errei no destino, voltei atrás, reergui desejos, sedimentei vontades e voltei a acreditar"

    como não poderia deixar de ser, gostei imenso, fico sempre com vontade de ler mais e querer descobrir mais sobre os teus textos e formas de pensar, novamente digo, pensa em editar um livro rapaz!

    Forte Abraço

    ResponderEliminar
  2. oh meu Deus. deixaste-me sem palavras com este teu texto. está tudo tão sentido, não consegui parar de ler até à última palavra. parabéns *

    ResponderEliminar
  3. Quem me dera poder acreditar no que escreves! Quer dizer, não que não acredite, mas na vida real, na nossa vida é tudo tão complicado, ou se calhar nós é que complicamos....
    adoro quando dizes: 'neste mundo do amor, os dias são diferentes, ora se perde, ora se ganhe e desengane-se quem diz que pode viver sem ele, porque não o pode. Uma desilusão é uma desilusão mas sabe sempre tão bem quando se volta a acreditar neste sentimento' e tens toda a razão! sabe mesmo bem quando depois de algo mau, redescobrimos o amor, mas e se esse amor redescoberto também não correr bem? como é que uma pessoa é capaz de se manter firme?
    Já agora, adoro imensamente muito a música!
    beijinho*

    ResponderEliminar
  4. Uma vez o meu avô tentou explicar-me o que era amar, porque no meio da minha curiosidade perguntei-lhe o que significava verdadeiramente. E vi que olhou para mim e me disse entre doces e cansadas palavras que o amor não era palpável, nem tinha cor ou forma como os objectos... mas que um dia mais tarde eu o iria descobrir, quando ele me batesse á porta. E sou exactamente como tu, eu descobri o amor por mim, entre acontecimentos e experiências.
    E hoje tenho saudades de ter um amor presente que me faça viver esses sentimentos.

    Skinny Love é uma das músicas mais ternas e lindas que ouço desde á algum tempo.

    Beijinho*
    DanielaC

    ResponderEliminar

Enviar um comentário