"Amar-te-ei eternamente"

Amar-te-ei eternamente… em cada batimento do meu peito,
De um coração que te ama para além da minha morte,
Para além do sonho que um dia sonhei – viver a teu lado.
Amar-te-ei no quebrar do passado, na ausência de dor,
No medo de errar e cair no esquecimento, no tormento,
De não ser amado como sou, de não amar como te amo,
Com tudo o que te dou – não jurando ser quem não sou.

Amar-te-ei em cada momento em que penso em ti,
Em que me entrego ao teu corpo, em que me dou por inteiro,
Na verdade do sentimento que partilhamos os dois,
Deixando tudo para depois – vivendo-nos intensamente.
Amar-te-ei loucamente… nos beijos que damos e nos abraços que…
Partilhamos - à luz de um desejo maior, de um confesso amor,
Que não negamos um ou outro, fazendo de mim um louco…
Um homem completo: em ti.

Amar-te-ei sem fim… sem princípio ou continuação,
Em cada batimento do meu coração – que se alimenta deste sentimento,
Deste voraz contentamento – de querer-te ainda mais todos os dias.
Amar-te-ei em fantasias… em utopias que se quebraram,
No dia em que os nossos destinos se cruzaram,
Em que nos entregamos ao amor, em que vivemos o fulgor,
De sermos bem mais que amantes,
De sermos pedaços… de uma mesma paixão.

Comentários

Enviar um comentário