"Rasga-me!

Rouba-me! Queima-me em amores irreais,
Em fortes vendavais,
Que arrastem o meu corpo em eufemismos de desejo - em gritos de vida.
Revolta-me! Beija-me e marca-me a pele.
Com a tua presença. Com a tua força,
De amar-me como eu te amo - nas lembranças tatuadas que habitam...
O meu âmago.

Rasga-me! Divide o que sou por duas metades iguais, 
Abraça-me e olha-me,
Vê o meu coração latejante em cada batimento da paixão voraz,
Que sinto...
Por ti.
Envolve-me! No teu corpo em que me perco, 
Nas horas findas em que me findo no desejo,
Em que sou teu por completo - em espasmos intensos que me devolvem ao sonho.


Acorda-me! Eleva-me aos céus e faz de mim o teu homem,
Faz com que renasça e acredite na imortalidade, 
Na eternidade do amor que tenho,

Nas minhas mãos e nas minhas veias - neste meu coração que se alimenta de ti.

Rouba-me! Apenas rouba-me e leva-me!
Para longe de tudo o que é irreal, para longe do temor que não tenho,
Do medo que me abandonou - no dia em que te amei...
Com todo o meu amor.




Comentários

  1. Irreal este seu escrever, dilacera qualquer coração que ama!

    Parabéns por escrever tão bem.

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito mas muito obrigado por todo o apoio, por todo o carinho e amizade.

      Um abraço e tenha um bom dia. :)

      Eliminar

Enviar um comentário