Em cada partida e em cada chegada...

Amar-te-ei…
Mesmo que um dia digam que não existe amor,
Que o sentimento se perdeu,
Que todo o sonho morreu…
Eu amar-te-ei – muito para além de mim.
Amar-te-ei na ausência de um fim.
Na voracidade do desejo.
Na partilha de um beijo.
Na insanidade de ser livre, a teu lado.

Eu… EU irei amar-te – eternamente.

Amar-te-ei como quem agarra a vida,
Em cada partida e em cada chegada,
Na palavra calada. Na pele usada.
Pela verdade de tudo o que somos.
Pela intensidade de tudo o que damos.
Ao amarmo-nos – como nos amamos.

Amar-te-ei para bem de mim mesmo,
Para respirar como quem condensa o mundo…
Nas suas mãos.
No nosso abraço.
(em sonhos reais – em utopias alcançáveis).

Amar-te-ei mesmo para além da minha morte,
No dia em que o meu corpo sucumbir,
Em que tudo se desvair.
Eu verei tudo desaparecer e…
No meio do nada que possa existir...
Amar-te-ei…
Amar-te-ei SEMPRE!


Comentários

Enviar um comentário