Aquela mesma noite...

Enrolados pelo chão despiram as roupas que há tempos ficavam agarradas ao corpo, como um desejo reprimido de uma paixão que transparecia em todos os poros de um físico que agora se entrega ao prazer, aquele mesmo que o desnudou. A paixão era enorme, ele tocou-a e ela entregou-se ali, num gesto que todos vivem mas que ninguém o transcreve naquilo que se pode considerar mais um passo para uma felicidade. Os suspiros eram constantes e as promessas apareciam numa forma natural em que dos dois restava apenas um, aquele corpo despido que amava, sentia, vivia e quebrava com todo aquele desejo louco de uma noite em que foram bem mais do que aquilo que sempre tinham sido, foram um do outro. Ela pedia um pouco mais e ele ali dava tudo de si, dava amor mas ao mesmo tempo o prazer que o constitui, o desejo que ela lhe despertava desde o dia em que se tocaram pelo primeira vez e em que cruzaram os corações sobre um manto de neblina que permaneceu até aquela mesma noite. Os gestos repetiam-se enquanto ele percorria o corpo dela, ela agarrava as costas dele em simples espasmos de uma paixão fulgurante que ali ganhava vida em cada momento que saciavam o desejo de um amor bem vivo. A noite ali caia, sobre a janela do quarto dele em que a vista contribuía mais um pouco para aquele momento tão esperado e vivido com uma intensidade que os fez adormecer um aninhado no outro, encostados corpo a corpo sem o pudor de mostrar as imperfeições que possuíam. O toque permaneceu, o silêncio chegou e ambos fecharam os olhos na certeza que os abririam de novo e iriam ver aquele mesmo corpo, aquela mesma paixão. Assim o foi e a partir daquele momento jamais se esqueceram de viver o que sempre quiseram e esqueceram-se de um tempo e de um passado que passou pelos seus corpos mas que não matou a sua forma de amar. Há instantes em que as histórias representam bem mais do que aquilo que se esperou, passam a ser a nossa realidade, nua e despida, pedida, lutada e finalmente vivida...




Comentários

  1. Espectacular.
    Não muito a dizer: espectacular.
    Maneira brutal de escrever,cada palavra extremamente bem escolhida e muito bem empregue.
    Realmente brilhante!!
    Gostei muito =) (afinal qual é o post que escreves que não gosto??).

    Beijinho*
    p.s-muito obrigada pelo comentário!!
    Admito que fiquei contente quando me disseste aquilo =)
    Fico muito contente que tenhas gostado!

    ResponderEliminar
  2. sabes que completo-me na sabedoria das tuas palavras? é. completo-me.

    ResponderEliminar
  3. que fantástico que está, que fantástico

    ResponderEliminar
  4. Arrepiei-me toda!
    Simplesmente maravilhoso! Amei *.*

    ResponderEliminar
  5. muito obrigado , eu também irei passar por aqui muitas vezes , um beijinho *

    ResponderEliminar
  6. obrigado,que bom que é ouvir isso sabes? também passarei por aqui mais vezes:)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário