"Sentido Ilusório"

A voz arrasta-se pelas ruas que marcam a tua presença,
Sinto a pertença, do corpo, do olhar, do coração.
És bem mais, que a fantasia do meu sonhar,
Um poema incompleto, que se completa no meu acto de amar.
Desculpa. Por não saber o que és, quem sou, para onde vou.
Apenas desprometo cada promessa, cada vontade,
Cada insanidade, daquilo que sei querer.
Do desconhecido em que mergulho, mergulhando em nós.
Também eu sou feito de carne, deste coração que arde,
Sempre que me invades, em noites fugidias,
Em que fujo, em que tropeço em ti.
Não. Não perguntes ao tempo, se irei amar-te,
Amando-te eu, em todos os segundos,
Nos meus segredos mais profundos,
Naqueles que apenas confesso...para mim mesmo.
Vem e rouba-me o medo, permanece no meu peito,
Sem que o tempo se esgote, sem que eu me esgote em nós.
Apenas fiquemos a sós, na abstracção,
Na verdade,
Na paixão.
Fica em mim esta noite,
Faz-me acordar contigo a meu lado,
Sem que exista outro caminho, outro destino,
Outro vento que nos arraste.
Apenas vem e fica agora em mim. Ama-me com vontade...


Comentários

  1. Um dos melhores que já li, sem dúvida.
    Lindíssimo.
    Estava ansiosa por (te) ler hoje.. Precisava de uma "lufada de ar fresco" :)

    ResponderEliminar
  2. Lindíssimo, o amor tal como o escreve e descreve faz-me levitar!
    Novamente os meus parabéns pelo arrepio constante que a sua escrita me provoca.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigado pelas suas palavras sempre gentis.

      Um Bem haja :)

      Eliminar
    2. Bom dia,
      gostava da sua opinião, é possivel?

      As minhas abstrações…

      Escrever … é prazer de poder descrever, tudo o que vai no meu ser…
      Sonhar… É imaginar, um olhar, um tocar, sem sequer contactar…
      Imaginar… É como sonhar, mas sem se elevar demasiado no ar…
      Acariciar… É apertar, a criança afagar e todos os seres amar…
      Desejar… É uma imagem apreciar e para sempre na memoria ficar…
      Dançar… É soltar o que me faz rodopiar e que não consigo controlar…
      Amar… É esse sentimento no ar, para quê adjetivar…
      Beijar… É aromatizar todo esse desejar…
      Acalmar… É sentar a ver o mar e mesmo sem saber nadar, ficar nele a boiar…
      Duvidar… É sentir uma brisa no ar e não querer na mesma voar, com medo de se magoar…
      Encontrar… É a um cruzamento chegar e nunca duvidar de qual o sentido a tomar…
      Fugir.. É partir, sem sequer sair e à simples ideia se resumir…
      Ciúme… Quem o têm, em geral não o assume especialmente quando está no cume…
      Sofrer… É sentir doer, sem saber o que fazer para tanta dor conter…
      Ser… É no espelho ler quem sou, sem receio de me ver…
      Amigo… É quem nos dá um incentivo mesmo quando não há motivo…

      Eliminar
    3. Um texto com palavras fortes, que espelham uma vivência, uma realidade muto sua.
      Aqui, nestas palavras, pode-se sentir estado de ansiedade, uma vontade de viver, todos os dias, mesmo conhecendo a dor, mesmo querendo beijar.
      Está ritmado, e tem muita lógica.

      Gostei :)

      Eliminar
  3. Isto foi, de facto - e citando um comentário acima -, uma lufada de ar fresco. :) Dá gosto ler aquilo que escreves, sempre de forma tão... perfeita. Consegues pôr em palavras aquilo que nós sentimos e não conseguimos verbalizar. Isso, sim, é incrível. Um beijinho. :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário