"Seduz-me"

Desnuda-me em eufemismos de vontade, calados em silêncios confessos.
Seduz-me com o olhar, fazendo o meu corpo perder-se no desejo,
No beijo marcado…tatuado em peito exposto.
Em carne dilacerada, pelo querer que me atormenta.
Enfeitiça-me, roubando tudo de mim. Quebra a monotonia do meu viver,
Agita-me em turbilhão de diamantes, que reluzem para além do teu olhar.
Abscinde da pele aquilo que não me faz falta, enlaça-me no teu abraço,
No compasso em que descompasso, embatendo de encontro ao teu peito.
Reluz-me em segredos sussurrantes, que me envolvem no desejo,
Deixando espectros passados… dissipados pela tua chegada.
Cria por cá laços de uma morada tão fixa, em mim, em imperfeitos escritos,
Trovados nas promessas que não faço. Prometendo-te tudo aquilo que sou.
Deixa-me o sabor do teu corpo, entranhado na minha boca,
No meus lábios que procuram os teus, em pecados cometidos,
Que não pecam…ao nosso pecar.
Revolta os meus dias, as noites em cama fria, naquela em que espero a tua chegada.
Em desnudos sentidos, em sentimentos perdidos, numa loucura que me invade,
Nesta ânsia que tenho de ti.
Sejamos os dois a abstracção de um fim, a continuidade que não colide na partida,
Faz-me ser a tua alma destemida, o prazer daquilo que somos.
Desnuda-me a pele e crava-te na minha carne, porque enquanto tudo fores,
Serei sempre tanto, ao desejar-te…como te desejo…



Comentários

  1. És incrível!
    Já o tenho dito diversas vezes, mas tu tens de facto o dom da palavra!

    ResponderEliminar
  2. " (...) porque enquanto tudo fores,
    Serei sempre tanto, ao desejar-te... como te desejo...". Adoro :)
    Há algo de diferente no texto de hoje.

    ResponderEliminar
  3. delicio-me no teu blog, a forma como te expressas..

    ResponderEliminar
  4. Respostas
    1. Muito obrigado, espero que a ausência de palavras se deva à escrita e ao sentimento que tento transmitir.

      Um bem haja :)

      Eliminar
  5. Exatamente, espelho de almas cheias de sentimento!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário