"Alado"

Observava o teu rosto na pele em que me deitava,
Tocava-te em segredo, numa ilusão em que te olhava.
A magia apoderava-se de mim, daquele coração alado,
Que em oceanos mergulhava, naufragando a teu lado.
Imerso naquela natureza, sentia-te em mim,
(Era como uma continuação de tudo, como a ausência do fim.)
Chamava-te nas folhas verdejantes, naquelas daquele lugar,
E o coração falava-me de amor. E eu...eu só sabia era amar-te.
Deixei-te ir, no que de ti vive em mim,
Nas palavras vivas...que um dia ficaram por aqui.
A música faz-me ter-te, nem que seja por segundos.
Entre sonhos e devaneios, encontro-te nos sentidos mais profundos.
Deixo-te ir, num rio que te vê acordar,
Nas ruas largas desse sítio, que eu não consigo chegar.
As minhas raízes são estas, as que me alimentam a alma.
Ficarei por aqui, porque aqui consigo ser mar...


Comentários

Enviar um comentário