"SemProtecção"

Vivemos de um tempo em que peço tempo para ser teu,
Somos barcos, somos parvos,
Somos o momento, aquele que não volta atrás.
Somos presente, futuro talvez,
Somos o corpo que pede, o olhar que denuncia.
Somos amantes...daqueles silenciosos,
Somos o fim de um princípio tão nosso.
Somos talvez a carne, a armadura da nossa protecção.
Somos instantes, insanes, paixão.
Somos música, daquela que fica,
Somos as ruas apertadas desta vila,
O sabor salgado do mar que nos viu crescer.
Sou eu homem e tu o meu estremecer,
Talvez o sonho ou a minha maior ilusão.
Somos nós, NÓS!
Nós difíceis de desatar.
Somos apenas ar, este do meu respirar,
Somos cama fria, aquecida pelo nosso ser,
Sou aquele que te busca no meu próprio desconhecer.
Somos nós a mais verdadeira possibilidade,
Somos nós realidade,
Somos nós a continuação um do outro.
Hoje, agora, sempre,
Somos a utopia que conseguimos alcançar entre os nossos dedos,

Aquela que conseguimos agarrar, bem na palma da nossa mão...






Comentários

  1. tudo isto, em ti...é maravilhoso!:)

    ResponderEliminar
  2. Se à pouco me dizes te que escrevia com prazer, que no que escrevia nao se notava esforço, que as palavras se desenrolavam por si, agora digo te o mesmo, escreves que um enorme prazer e dedicação ao que sentes, e isso faz com que o que escreves seja um embalar de uma história por ti criada, faz com que o leitor entre nas tuas palavras, cativas de uma forma tão especial, tão tua. Bem quanto ao que escreves te, adorei como sempre, ate me arrepiei, pela intensidade de cada palavra, pelo amor que a cada frase entregas. Um beijinho

    ResponderEliminar

Enviar um comentário