Tempus...

Espectros passados de uma vida meio vivida, naquela hora, naquele mesmo lugar, tudo se dissipava nas águas turvas que limpavam o corpo daquele homem, o coração daquela alma que lutava por uma felicidade que deixara de ser utópica. Por entre sorrisos e gestos descontrolados, erguia-se a vontade no encarnado sangue de um guerreiro que, em tempos, descobriu o que era o amor. Pinceladas de vida, uma vida por viver no retrato minimalista de linhas cruzadas que revelavam sonhos antigos, agora presentes, numa história em constante mutação. São escolhas de caminhos, atalhos descurados por quem segue nas avenidas de um receio perdido pela vontade maior de arriscar. Sobreviventes, chamas ardentes de quem de si não se perdeu, de quem preserva, nas suas mãos, a forte força de acreditar na plenitude de um acto heróico que não contempla quem vive na sombra de um medo ofuscante. Criança vista crescer, maturidade assente nas travessas de uma escolha que o fez seguir rumo aos mares mais profundos, aos mares em que, no amor, se perdeu para, mais tarde, encontrar-se nas correntes que falavam de verdade, nas mesmas correntes que não prendem, que o deixam livre. Desertos de areias finas que os seus pés abraçavam, ondas de mar que o banhavam despertando todo aquele ser para os raios de sol de uma manhã de Outono. Amores cruzados em fortes olhares penetrantes que não observam o corpo nem o que lhe cobre. São olhares que atravessam a alma, que tocam o peito, que revelam a verdade de um sentimento disperso na neblina de uma cegues de quem não acredita no seu próprio olhar. Melodias que falam, palavras que revelam, prosas escritas na hora em que o corpo repousa e o pensamento vagueia, por aquele quarto, atravessando toda aquela distâncias, beijando o rosto de quem se quer, abraçando a vida de uma forma diferente, num tempo diferente, no teu, no meu, no nosso tempo...



Comentários

  1. Melodias que falam, palavras que revelam e sentimento que existe no coração de quem puras palavras escreve, vindas da alma quente do amor... Predes-me à tua leitura, e isso nem todos o conseguem fazer, apenas aqueles que tem o dom de escrever e ao coração dos outros chegar, tu tens o dom! És uma inspiração para mim. Um beijinho de boa noite

    ResponderEliminar
  2. "porque os homens são anjos nascidos sem asas, é o que há de mais bonito, nascer sem asas e fazê-las crescer", é assim que eu te encontro numa frase guerreiro :)

    gosto muito da nova foto :)

    Beijinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia Liliana,

      Obrigado mais uma vez pelas palavras que cá deixas. É bom sentir a tua presença por estes lados.

      Um beijinho e Boa semana :)

      Eliminar
  3. Pois é, lá isso é verdade. Muito, muito obrigada. É uma felicidade que não tem explicação, é uma sensação linda de se sentir.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário