Tanto...

Em tão pouco tanto somos,
Que ao sermos tanto formamos,
Formamos vidas de sonho,
De um sonho tão nosso.
Tão nosso é do destino,
Destino traçados nas nossas mãos,
Mãos que seguram os sonhos antigos,
Antigos sonhos que formam futuro.
O futuro desenha-se ao olhar,
Olhar trocado numa noite de verão,
Verão que fala em melodias dispersas,
De dispersos sentimentos presos em nós.
Nós que seguram rios de desejo,
Desejo que se perde num beijo,
Beijo roubado num noite quente,
Quentes corpos despidos numa cama.
Cama partilhada pela vontade de ficar,
Ficar de um história com futuro por explorar,
Explorar o mundo num abraço entrelaçado,
Entrelaçado destino por nós traçado.
Traçado o caminho que leva ao mesmo lugar,
Lugar de ruas estreitas com cheiro a mar,
Mar que espera por oceanos de vontade,

Uma vontade de tão pouco que  faz tanto que desejamos ser...



Comentários

  1. Mais uma vez amo a música :)

    *oceanos de vontade* :')

    ResponderEliminar
  2. Um poema inebriante! Adorei... Que saudades de ler estas tuas palavras de amor :)

    ResponderEliminar
  3. Este poema tem uma expressividade enorme, gostei muito :)

    ResponderEliminar
  4. Uau! Quanta intensidade e sentimento num poema só!
    Amei

    ResponderEliminar
  5. Oh, muito obrigado mesmo. Adoro este teu cantinho :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário