A tua presença...


Hoje deixo-vos uma história de amor, nem real, nem irreal, algo que podem sentir, que podem viver, algo que pode ser meu, mas que pode ser teu também...

As palavras falavam-me da tua presença, os dias contemplavam o teu sorriso e a tua imagem pairava sobre todo o meu sonhar. Hoje sentia-te perto, perto de mim, perto do meu coração que se entrega ao sentir nas mais variadas formas. Este amor que me preenche hoje fala no silêncio da tua voz, fala na ausência de tudo, na presença apenas do teu ser. São horas em que o caminho revela mais um encontro, mais um desencontro, mais um capítulo a uma história que deseja ser agarrada, que nasceu para ser vivida.
Instantes marcantes, horas revoltas, um mar de emoções, um único sentir capaz de derrubar barreiras, de acender chamas e de despertar um brilho no olhar, aquele mesmo brilho que temos sempre que cruzamos os nossos corpos. É o pedir mais, o querer mais, o viver mais, tudo isto contemplado em nós, ancorado a este nosso viver.
Há perguntas que ficam sem explicação, há fugas que de nada servem, que nos voltam a arrastar para os mesmos lugares, que nos empurram para as mesmas vivências. Destinos traçados, destinos vividos, resultado das nossas escolhas, resultado de algo que não conseguimos descrever, de algo que somente pode ser vivido, sentido por nós e apenas por nós. É o querer,  é a melodia que recorda, a imagem que relembra e a saudade que chama, que nos chama mais uma vez, que nos revela que há coisas que não acabam e há outras tantas que nunca serão esquecidas. Os dias passam e perdemos mais uma oportunidade, perdemos mais um tanto que poderia ser vivido para além dos sonhos sonhados, para além dos projectos que vamos adiando com medo de errar.
Somos o querer e não querer ter, o agarrar ou largar, somos o impasse das escolhas, o impasse dos caminhos mas a certeza de um amor que cresce, de um amor que nasce todos os dias e que nos relembra um do outro, que nos relembra que há muito por viver desde que sejamos personagens principais da nossa vontade.
Há coisas que a vida nos revela, há coisas que podemos ver que não são simples coincidências. O amor é mesmo assim, sentimento forte, palavra que grita dentro de nós, torna-se, ele, uma vontade incontrolável, um ser inexplicável e algo que não é condenável desde que seja vivido, repartido, desde que seja sentimento principal que nos mova em todo o viver. A amar eu aprendi que as horas passam e que a recordação fica, que o sonho pode ser uma realidade, que há histórias que têm de ser vividas e que o tempo mostra o que é melhor para nós, mostra o que antes nem conseguíamos ver...




Por mais tempo que possa passar, há coisas que nunca se esquecem, há musicas que fazem recordar, imagens que fazem saudar e um coração que guarda o que de mais marcante vivemos, quem de mais marcante pela nossa vida passou. O esquecer não é mais do que uma simples desculpa para quem aprendeu que há mais caminhos, para quem conseguiu seguir em frente...



Comentários

  1. Falas tão bem de amor. Que prazer é ler amor nas tuas linhas. Beijinhos, André

    ResponderEliminar
  2. O amor faz-nos mesmo perceber que há sonhos que são realidade.
    Tu escreves tão bem o amor, como se ele vivesse na ponta dos teus dedos. Adoro.

    Um beijinho

    ResponderEliminar
  3. Hoje li o texto mal ele foi publicado e ainda não tinha comentado, não por não ter gostado mas porque me deixou atónita e sem saber realmente o que dizer. O sentimento que lhe impões é-se percorrido por cada poro do corpo e cada palavra é uma melodia perfeita para a minha mente e o meu coração. Está demasiado perfeito!
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  4. UFF SEM PALAVRAS, ÉS AMOR PURO, OBRIGADO POR FAZER-NOS SONHAR. UN ABRAZO DESDE CHILE ㋡ . ♛♛♛♛♛

    ResponderEliminar

Enviar um comentário