Marés...


Hoje coloca a música, tira um tempo e deixa-te ir pelas palavras. Desejo um óptimo fim-de-semana. Beijos e Abraços...
A maré arrasta-nos, arrasta-nos a alma, despe-nos o corpo, torna-nos vulneráveis. A maré leva-nos sem direcção, em contramão, no meio de um turbilhão, encontrando perguntas sem explicação. Deixamo-nos guiar pelos ventos, pelos ventos que nos encaminham, que nos perdem, que nos encontram. Perdemo-nos de nós, perdemo-nos de tudo, encontramo-nos em nada, naquele nada que nem sabemos onde fica, em que lugar reside, que morada o destina. Vivemos na maré das nossas escolhas, nas escolhas vividas, nas perdidas e nas que nem sequer foram agarradas, vivemos nas marés, nas marés desta vida. Vivemos a promessa, o sorriso de uma recordação, o chorar de uma desilusão e o lembrar de uma situação, uma situação que se ancorou ao nosso peito, à nossa alma. Deixamo-nos arrastar, perder, nas vielas e ruelas, nos dias de sol e naquelas noites chuvosas em que procuramos o aconchego de um abraço, o calor de um corpo, o gosto de um beijo. Impressionante como em dias somos tudo e noutros sentimentos que somos nada, impressionante esta forma de vida que nos muda o rumo, que nos constrói o ser, que nos faz crescer. Vivemos nas escolhas que escolhemos, vivemos o que agarramos e saboreamos o gosto doce de sonhos sonhados, de amores guardados e de palavras que se tornam o motivo para seguirmos em frente. No meio de tudo isto, no meio de tudo isto, fica sempre a mudança, o dia em que ela chega, em que vivemos o que queremos, em que sorrimos sem tempos, em que amamos sem desculpas. Tudo terá o seu tempo, tudo terá o seu significado, tudo será presente e não passado. Para tudo há um motivo, o que é vivido será sempre nosso, o que será perdido nunca teria de o ser e o que for futuro será, apenas e somente, a nossa história em continuação, aquela história que sairá sempre do teu coração. Tu tens a tua vida na mão, desenha o teu sonhar, constrói o teu viver, ergue a tua vontade, reinventa o teu caminho, traça o teu destino, escreve a tua história. Não pares o que é para avançar, não estagnes no tempo que continua por ti a passar...





Enquanto uns vivem preocupados com o que os outros pensam, há pessoas que pensam, que sentem, e que amam por si mesmas. Não é assim que deveria sempre ser?







Comentários

  1. « (...) tudo terá o seu significado (...) » Já acreditei mais...por vezes nem tudo tem sentido. Impressionaste-me mais uma vez, belas palavras!
    Beijos!

    ResponderEliminar
  2. Grande texto, adoro a relação que fizeste entre as marés e todas as palavras que aqui colocas-te assim como a forma com as interligas-te e assim se cria um grande texto!

    Adoro especialmente a parte final, a que destacas-te a negrito, muito bom mesmo!

    Forte Abraço

    ResponderEliminar
  3. Gosto de mensagem que consegues transmitir... de esperança, talvez... pelo menos para mim :)))

    ResponderEliminar
  4. Não sei as palavras certas para falar sobre este texto , mas está : MARAVILHOSO :')

    ResponderEliminar

Enviar um comentário