Um pouco mais de amor por favor...


Vive-se aprendendo, desejando o que nos faz felizes. Temos o dom de sonhar e tantas vezes esquecemo-nos que detemos tal poder. Caminhamos, fazemos desses caminhos histórias em que sorrimos, choramos mas, que no final, queremos que tenha significado, que formem em nós razão, uma razão que nos faça amar. Vivemos o amor em diferentes expressões, vivemos a angústia da perda, o medo do erro, a força do beijo. O impossível somos nós que criamos, aquele impossível que existe nos percursos de quem desiste de si, de quem se esquece o que é sentir. Sem esforço nada se tem, nada se faz, nada se vive, esta é a minha convicção, aquela realidade que eu conheço, que eu acredito, por a qual eu vivo. Eu sou aquele que vive o amor na sua expressão, sou quem ama de verdade, quem quer com razão, quem sonha e vive, quem luta por o que quer, quem fica por o que merece, quem espera por o que me rasga um sorriso, quem parte no momento em que as expressões são perdidas e o sentido fica esquecido. Sou quem quis ser, sou quem escreve estas linhas acreditando nas escolhas que faço, nas escolhas que fiz e nas pessoas que preservo dentro do peito. Sou quem vive a dualidade dos sentimentos, quem não gosta de engar, quem não gosta de ser enganado. Sou o reflexo das histórias que lia, daquelas histórias que me enchiam o imaginário e me fizeram um homem que prefere a qualidade que a quantidade, que prefere os caminhos invés dos atalhos. Sou o que sou, vivo o erro e aprendo com o mesmo, sou quem um dia amou e que hoje reinventou esse amor, feito à minha medida, moldado à minha vivência. Todos nós somos resultados da marca das nossas pisadas, todos nós somos o espelho das nossas acções por isso, prefiro ser o perder sabendo que lutei do que ser o não viver fruto do receio de falhar...




Eres perfecta para mi...




Comentários

  1. obrigada, mas quando a nossa auto-estima é demasiado baixa ou já nem sequer existe torna-se bastante complicado.

    ResponderEliminar
  2. mas continuaríamos a travar as nossas lutas e a ser quem somos. só que teríamos todos uma espécie de psicólogo, mas só nosso. alguém com quem tivéssemos um elo desde que nascemos. transcende-me explicar-me algo assim :$
    obrigada. também é sempre bom aqui passar!
    boa continuação.

    ResponderEliminar
  3. Venho agradecer a tua visita na minha galeria e dizer-te que és sempre bem-vindo por lá. Vai aparecendo porque adoro ouvir/ler opiniões diversas. Um forte abraço

    ResponderEliminar
  4. oh, muito obrigada (': fico feliz por saber que gostaste! um beijinho*

    ResponderEliminar

Enviar um comentário