Desconhece-te...

(Hoje deixo um texto diferente mas cheio de significado. Certamente há muitas pessoas que entenderão cada palavra, cada momento aqui partilhado nesta história que tem toda uma mensagem por trás. Espero este fim-de-semana conseguir responder a todos aqueles que me acompanham e deixam palavras tão boas e motivadores neste meu cantinho. Sejam felizes e aproveitem a vida com amor no coração.)
Livro aberto, carta rasgada pelo chão, poesia ardente e um amor doloroso vivido naquela sala. Sons ecoam pelos corredores daquela antiga casa, os batimentos de um coração tornam-se percetíveis e a imensidão de uma solidão faz verter as lagrimas pelo rosto daquela mulher. Ali sentada, viva por fora, morta por dentro, perdera tudo o que tinha, abandonara aquele amor que um dia lhe deram, que ela nem soube sentir. Entregou-se as aventuras da vida, vendeu a alma e recebe agora o que dela resta, os destroços de caminhos percorridos sem sonhar, de metas que nem chegaram a ser cumpridas, de gestos que nem eram os seus. Viveu o que se chama de uma segunda vida, pintava os olhos, arranjava o cabelo mas nunca respeitava o que de melhor tinha, o coração. Viveu dias a fio ouvindo palavras bonitas, palavras que lhe enchiam de sorrisos mas não formavam brilho no olhar, um brilho que acabou perdido nas vielas daquela cidade, nos recantos daquela falta de humildade. Encenou, representou e ficou dependente de guiões, de estruturas invisíveis que lhes moldavam as vontades, que lhes rasgavam as saudades fazendo dela boneco, fantoche da sua própria história. Sorriso que felicidade não tinha, andar que ambição não possuía, vida em que apenas sobrevivia para mais um enaltecer da sua beleza, um esquecer de tudo o que um dia foi ensinado a sentir, compartilhado em gestos de amor. Agora encontra-se sozinha, cheia por fora, adornada de tudo, mas tão vazia por dentro, tão despida e vulnerável a uma vida de fantasia que viveu esquecendo que por momentos é preciso acordar, viver, lutar e lembrarmo-nos quem somos, para onde vamos, o que sonhamos. Os caminhos que tomamos na vida irão ser o espelho daquilo que se viverá no futuro. Pode-se não saber como será um amanhã, pode-se até mesmo desconhecer que trilhos serão seguidos depois de finalizar e ultrapassar mais uma etapa, mas temos o dom de poder melhorar o que vivemos, de rasgar sorrisos verdadeiros, de amar de forma natural. Gestos simples mas que, na verdade, fazem toda a diferença...




Comentários

  1. muito obrigado mais uma vez pelas palavras, são sempre tão encorajadoras! e também eu espero isso que disseste...
    escusado será dizer que este é mais um texto que me toca, cheio de ensinamentos como todos os que escreves. desperta emoções!
    grande abraço!

    ResponderEliminar
  2. Muito obrigado por aquele comentário *.*
    gosto do post

    ResponderEliminar
  3. espero mesmo que tudo melhore :/
    adorei o texto que aqui deixaste!*

    ResponderEliminar

Enviar um comentário