Como verdade em palavra dita...

(Espero que se leia cada palavra, que se entenda coda significado, porque a escrita pode ser a mesma, mas a forma de interpretar muda de pessoa para pessoa, de sentimento para sentimento. Hoje vale a pena perder um tempo e ler o que tantos pensam que apenas se passa com eles. Espero que gostem...)
Por vezes pedimos um pouco mais de nós, um pouco mais de alguém que em nós forma vida, em que nós desperta um infinito de emoções. Pedimos um pouco mais, um pouco mais de amor, de sorrisos, de sentimentos e de um entendimento que vai para além das palavras proferidas, dos gestos tidos ou até mesmo dos silêncios que acabam por existir. Complicamos a vida, complicamos o que tanto queremos viver e no fim de tudo, corremos na direcção totalmente contrária daquilo que tanto sonhamos, de um amor que tanto ambicionamos. Somos humanos, desvendamos o que parece não ter resposta mas, na altura de todas as confirmações, voltamos a questionar tudo, a nossa capacidade, o nosso querer, o nosso lutar e até mesmo a nossa força de transformar sonhos em realidades, amores em histórias vividas. Porquê ser assim? Porquê que não se agarra quando se sente? Que não se diz quando se ama? Pensamos de mais, agimos de menos e isso prende-nos e mais infeliz que isso, é que somos nós próprios a criar essas amarras, a construir essas barreiras que nos fazem estagnar no nosso próprio caminho. Sentimentos são o reflexo de um querer, sonhos são o projectar de um idealizar, de um viver, gestos são pura expressão de um transmitir e as palavras apenas ganham vida sempre que passam a acções, sempre que despertam em pessoas emoções. Simples são os caminhos, claros são os sentimentos mas nós, nós continuamos a duvidar, a enturvar, a tapar o que se quer, o que se sonha, o que se ama. O tempo passa, os dias dissipam-se como pequena gota de água que cai no mar, e no fim o que resta? Resta o arrependimento de um perder, o sofrer de um partir, a saudade de um sonhar, a fraca força de um lutar...



Comentários

  1. «Pensamos de mais, agimos de menos e isso prende-nos e mais infeliz que isso, é que somos nós próprios a criar essas amarras, a construir essas barreiras que nos fazem estagnar no nosso próprio caminho» tão verdade!
    gostei imenso do teu texto, querido (:

    ResponderEliminar
  2. Como sempre que passo aqui surpreendo-me e hoje voltou a aconteçer. Gostei mesmo , beijinho *

    ResponderEliminar
  3. Obrigada :) Apesar de não ser da minha autoria, identifiquei-me bastante.
    Mais uma vez gostei muito de passar por aqui. Belas palavras.

    ResponderEliminar
  4. Sem dúvida que é verdade, concordo completamente :)Gostei

    ResponderEliminar
  5. olha, sabes uma coisa?? não só disseste as palavras certas no teu comentário , como encontrei aqui, neste teu post, a frase perfeita para o meu texto: "Complicamos a vida, complicamos o que tanto queremos viver e no fim de tudo, corremos na direcção totalmente contrária daquilo que tanto sonhamos, de um amor que tanto ambicionamos" é isto MESMO!

    ResponderEliminar
  6. Simplesmente perfeito ;o
    Vou seguir, e vou estar muito atenta ao proximo post (:

    ResponderEliminar
  7. tens razão!:)
    tudo o que hoje aqui deixaste, é realmente o que muita gente pensa que só ela vive. explicaste muito bem. e sim, fica sempre a saudade do que se viveu e do que se sonhou.*

    ResponderEliminar
  8. e como sempre amei o teu texto, e não digas que perdemos o nosso tempo para ler o que escreves, falo por mim: eu leio com todo o gosto!
    sabe tão bem ler e saborear cada palavra e frase que aqui transmites :)
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  9. Gostei tanto. Tens um poder intenso nestas tuas palavras e, oh, isso deixa-me de coração nas mãos.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário