Amor romântico ou apenas amor plástico?...

Nestes dias olho pela janela do meu quarto e vejo que tudo poderia ser melhor, tudo poderia ser mais simples, mais quente e até mesmo mais verdadeiro. Não vejo a hora de te abraçar de te beijar de te sentir e acima de tudo de tu me sentires e de sentires o amor que tenho dentro do meu coração apenas para ti e só para ti. Tenho este vício de te escrever, tenho esta vontade pois sei se um dia parar de escrever tudo isto para ti é o dia em que comecei a te esquecer, comecei a esquecer os teus gestos, o teu olhar, a tua força mas sobretudo começo a esquecer-me de te amar.
Há dias em que as vontades que estão dentro do meu peito desaparecem, a força começa a desvanecer e o amor começa a ser engolido por um turbilhão de outros sentimentos e de outras pessoas de que de uma forma ou outra entram pela minha vida sem bater a porta. Não quero desistir de ti, neste momento é a certeza que tenho, mas não te posso enganar ao dizer que esperarei por ti para sempre porque isso não posso afirmar. A vida dá muitas voltas, o mundo muda, as pessoas mudam e com isto os sentimentos também são obrigados a alterarem-se e a surgirem novas formas de amar.
Longe vão os tempos em que sonhava com algo ou com alguém perfeito, as coisas já não são assim, cada vez vivemos mais numa sociedade que utiliza pessoas, sentimentos e amores como objectos descartáveis, hoje ama-se, amanhã detesta-se e tudo se baseia nestes moldes. Não quero ser assim prefiro acreditar em algo mais verdadeiro, menos plástico mas acima de tudo algo muito mais romântico.
O amanhã não sei mas só sei que hoje gosto de gostar de ti e para mim isso chega, pois sentir que gosto de ti faz-me despertar alguns dos sentimentos que tiveram adormecidos ou apenas com medo de acordar durante uma boa parte da minha vida. Não te peço respostas e até mesmo textos escritos e não sentidos, apenas te peço que saibas respeitar aquilo que te demonstro e que saibas que acima de escrever os sentimentos o importante é senti-los...

Comentários