Da próxima vez...

Da próxima vez, não fiques por aí, fica em mim, recebe o que te dou. Da próxima vez, agarra a minha mão, segue os meus passos e eu far-te-ei sorrir. Fica aqui, permanece na minha história, escreve comigo os nossos próprios sonhos, lutaremos juntos por eles. Hoje sente a minha presença, sente a minha voz ecoando dentro do teu peito, dentro desse coração em que um dia ancorei, em que um dia vi para além das barreiras que possam existir. Não é verdade se disser que não te amo, não é verdade se disser que de ti não me lembro. Mentira minha, mentira nossa se partirmos em busca de algo que não sejamos nós mesmos, que não sejam aqueles sorrisos que nos fazem sorrir.
Da próxima vez, olha-me nos olhos, despe-me a alma, e explora cada sinal calado, cada silêncio impregnado de mim, embebido deste meu amor. Recorda cada momento, cada pequeno momento que forma algo nosso, que nos entrelaça nas vielas das ruas que nos conhecem, das prosas que falam de sentimento. Procuremos juntos o porto de abrigo da nossa história, escreveremos as nossas vontades, respeitaremos a nossa liberdade, aquela que presamos tanto, que tão bem nos faz.

Da próxima vez, fica um pouco mais, olha um pouco mais e faz-me avançar, da próxima vez, segreda-me ao ouvido, que eu te confesso tudo num beijo silencioso aos ouvidos dos outros, que tanto te confessa ao teu coração. Na próxima vez, faz com que tudo seja diferente, faz com que tudo seja a tua vontade de querer, a tua vontade de ficar, a tua vontade de começar o que ainda permanece em sonhos sonhados, em projectos projectados. Da próxima vez deixaremos de ser eu, deixaremos ser tu e passaremos a ser nós, um nós difícil de desatar...


Se há coisas que gosto é de pessoas que sabem gostar...



Comentários

Enviar um comentário