Um falar de vida...

Não há tempo que não veja o tempo de uma vontade de amar. Não há intervalos, os olhares perdem-se e tanto se percebe nos silêncios. Enquanto há sentimento, há uma multiplicidade de formas, de pessoas, de histórias, há verdade, há liberdade. Somos a escolha, o resultado de dias vividos e de noites mal dormidas, somos eu, somos tu, somos nós. Passa a hora, passam os segundos que contam, os destinos que cruzam, passam pessoas mas o sentimento, esse, cresce, não foge, ancora-se ao nosso peito, percorre o corpo, vivendo eternamente na lembrança. Não há tempo quando se fala de amor, esse amor é intemporal, banal, carnal ou então, é amor espiritual, daquele que vai para além do que se vê. Vivemos de amor ou então de receio de o sentir, mas eu, eu prefiro que ele ande por aqui, que me faça desejar, que me faça ser um homem completo, que me faça te amar, sem barreiras, sem desculpas, amando-te simplesmente como quem ama a verdade. Gosto de sentir este ar, este calor que me faz despertar, gosto de viver o Verão, na palavra dele ou então nos amores que ele desperta. Mas, nem sempre o Verão trás a história, eu acho que ele trás é a vontade de vive-la, ainda mais do que na Primavera, de maneira mais intensa do que no Inverno em que as lembranças nos fazem sorrir. Por isso que se viva, que se sinta, que se diga, que se lute, se perdermos perdemos com o que lutamos, se ganharmos, vivemos o que sonhamos e não sonhamos com o que poderíamos viver...


No amor não há lados certos, não há lados inversos, não há verdades alheias, não há monstros nem sereias. Numa história de amor existe garra, vontade, humildade, cuidado mas, sobretudo, existe um sorriso partilhado no rosto de quem sabe amar...



Comentários

  1. "os olhares perdem-se e tanto se percebe nos silêncios"
    "sorrisos partilhados"

    Isto hoje diz-me mesmo muito.

    Há sorrisos q não se vêem. Apenas se sentem e enchem-nos o peito de uma alegria doce, de muito amor, de muita vontade.
    bjinho

    ResponderEliminar
  2. Eu acho que há um tempo no amor, aquele que nos traz a mínima falta dele. Aquele tempo onde por não o contarmos com os dedos se acumula e se deseja repetir mais tarde. O tempo do amor é aquele imbecil que parece mais curto que os outros. Menos cruel que os outros e mais abastecido que os outros. Um tempo em que podemos ou não saber o que fazer com ele. Porque quem ama, perde a noção dele mesmo. Um beijo para ti André

    ResponderEliminar
  3. uau! hoje este texto significou bastante para mim. Um belo texto!

    um beijinho * :)

    ResponderEliminar
  4. Amor uma só palavra com múltiplos sentimentos em dois corações, unidos pela chama da paixão, aquela que aquece a emoção de viver com satisfação com a cara metade... Amar é saber amar e deixar se ser amado. Amar é sentir a presença do outro, mesmo estando a muitos passos descalços longe de nós... Simplesmente lindo. O amor vive sempre dentro de ti, é fantástico passar aqui e sentir que a felicidade por escrever é enorme, que o gosto pela vida, pelas pessoas, pelo amar o outro é de louvar. Um beijinho de boa noite

    ResponderEliminar
  5. Em cada batalha trabava perdemos e ganhamos um pouco de nós...
    Beijinho

    ResponderEliminar

Enviar um comentário