O meu eu em mim mesmo...


Dê-me um pouco de caminho que eu sigo traçando o meu rumo, dê-me um pouco de sorrisos que a minha felicidade, fomento eu, em tudo o que faço, dê-me um pouco de amor que eu, com ele, farei a minha história eternizar-se nas batidas do meu próprio coração. Não peço demais, não peço o que não quero, apenas vivo segundo esta estranha forma de vida em que tudo se torna reflexo de um sentimento maior, que não se explica, que não se compõe, que não se inventa. Aqui, aqui e agora, vive-se as horas em que a liberdade percorre as minhas veias, em que os sonhos guiam-me numa mistura de reflexos invertidos ou até mesmo de fantasias esboçadas em olhares confessantes. Não sou de me guiar pela instabilidade, de naufragar em praias distantes, de esperar por instantes sem nada de mim dar. Agora, agora sigo por nesta minha terra, sentindo a firmeza dos meus pés e a vontade que agarro com estas minhas mãos. Homem que sou, criança que fui, tanto mudou mas em mim tanto ficou, ficou este ser despido de tanto, revestido de uma visão antagónica que separa o amor da paixão, que separa o instante de uma história que se quer eterna. Efemeridades que assisto, palavras largadas sem significados aparentes. Aqui eu respiro apenas as letras que me formam, falo de tanto mesmo em tão pouco, falo tão pouco sentindo tanto. Rios, marés, correntes que o meu corpo arrastam, que a minha alma moldam, valores herdados, outros descobertos, alimento-me da verdade que os meus olhos vêem, alimento-me dos pequenos segredos e partilhas que, simplesmente, duas almas trocam, dois corações confessam, um só sentimento revela. Se há vida em mim, essa vida passa por todas as imagens, cheiros e sons que fui guardado, que fazem de mim personagem principal do meu próprio viver...


Sei que o caminho é em frente, que as escolhas são minhas, que mais vale um momento verdadeiro esperado do que um presente dado em momentos pouco duradouros. Vejo no amor o significado de tantas perguntas e outras, outras apenas espero a resposta. Enquanto acreditar em tudo isto, sorrio, porque a sorrir vou acreditando em mim mesmo...






Comentários

  1. "Aqui eu apenas respiro as letras que me formam", oh André é tão tu!Adoro-te :)*

    ResponderEliminar
  2. Que texto lindo! Adorei principalmente a última parte. Já algum tempo que não passava por aqui...

    Um beijinho*

    ResponderEliminar
  3. meu deus, como consegues escrever assim, está perfeito, sublime!

    ResponderEliminar
  4. Como tu me dizes e bem, o que os outros dizem, não tem de ser o caminho a seguir. As escolhas são nossas, só nossas. E tu, fazes a escolha de ser um optimo ser humano. Genial.

    Um beijo

    ResponderEliminar
  5. E chegarás aonde queres, porque realmente estás certo em tudo o que dizes! Adorei o texto, uma excelente reflexão! ^^

    Abraço forte :3

    ResponderEliminar

Enviar um comentário