Chega(s-te)...


Sentei-me por momentos e coloquei um copo de bebida na minha frente, em fracções peguei de um cigarro, acendi e vagueei naquela mistura de emoções. Sentia em cada poro da minha pele o sentimento que me prendia aquela imagem, a tua imagem. Engraçado como estes momentos revelam um caminho que há tempos pensava não percorrer. De repente, num passo como se de magia se tratasse, começa a tocar aquela música, aquela que associo a tanto tempo deste tempo em que me perdi no teu olhar. São reflexos, reflexos sentidos no olhar e naquele arrepiar da pele que tem o dom de suster a minha respiração por breves instantes. Não procurei respostas porque não as quero ter, não procurei justificações e muito menos significados, o que procurei, foram boas memórias, aquelas que me entram nos sonhos e fazem-me acordar com um sorriso diferente dos que conhecia anteriormente. Hoje encontro-me a ter uma conversa comigo mesmo, um monólogo simplificado, sem imagens abstractas  ou ideias pré-compradas. Nesta simplicidade vejo com mais clareza, avanço com mais firmeza e não procuro demais porque o que eu quero está ali, perante a minha vista que toca sem tocar, que vê sem ver. Não sei se complico ou se simplifico demais, vejo o amor como um ser que me percorre as minhas veias, um vício que me matem vivo como ar que respiro em cada segundo desta história que chamo de minha. Não sei o que me espera amanhã mas, também, não quero saber, o que quero mesmo é viver este momento, continuar a ser este homem que sou, quero escrever estas linhas mas não quero que elas amanhã sejam iguais, por isso, por isso, mesmo vou avançando. Desde pequeno sou sonhador, um pouco entranho confesso, mas não é por isso que não sou como todos os outros, não é por isso que não sigo caminhos errados. Sigo-os porque prefiro viver, prefiro sentir a adrenalina de uma nova aventura, o começo de um novo amor. Chamem-me louco, chamem-me sonhador de causas impossíveis ou até mesmo chama-me o que vos apraz chamar. Eu, eu vivo por mim, pelo meu olhar, pelo meu sentir, pelo meu amar, espero o tempo que for preciso, crio o momento que for necessário, corro o mundo inteiro, quebro barreiras de quem não vê, mas eu, eu enquanto viver, luto pela minha verdade, vou contra tudo e todos pelo que, realmente, quero...


Tu lutas pelo que queres? Vais pela tua verdade ou pela dos outros? Quem escreve a tua história serás sempre tu e é quando veres isso que começas a seguir os teus próprios caminhos, a amar quem tu queres, onde queres, pelo tempo da história ou por uma eternidade. A escolha é e sempre será tua...






Comentários

  1. Que lindo :D
    Adorei.
    Acredita que é uma delícia chegar ao fim de semana e ler algo assim hehe :)

    Keep dreaming, keep fighting, keep believing.


    “The future belongs to those who believe in the beauty of their dreams.” *

    bjinho e bom fim de semana *

    ResponderEliminar
  2. " A escolha é e sempre será tua..." É isso...somente nós podemos escrever a nossa história. Hoje, em especial, adorei as imagens.

    Um beijinho :)

    ResponderEliminar
  3. quando li este texto até me assustei. Conseguiste tão bem colocar-me no meio de uma praia do Algarve. Durante segundos estive a beber o ar da brisa do vento ao cair da noite nessa praia. Tenho o cheiro do mar no olfacto. Sinto a areia nos pés em encruzilhar-se-me nos dedos. Tu conseguiste-me levar até lá. Obrigada :)*

    ResponderEliminar
  4. É isso mesmo. Demorei muito tempo a perceber o valor que tenho e a amar-me, agora não deixo que me façam não gostar de mim mesma. Obrigada :)

    ResponderEliminar
  5. Mudar como mudar de caminho? Abandonar o sonho?
    Muitas vezes quero.. e n consigo. Depois percebo que verdadeiramente não queria. O que eu queria era mais, era o agora, era viver, maior facilidade.. perceber isto, porque as coisas não andam. Acho que é isso. Desisto porque não evolui. Mas a cada vez que desisto só me apercebo melhor da veracidade do sentimento. Por isso não, não parti. Não sei se estou aqui, se estou nele. Mas sei que (cada vez mais) ele está em mim! :)

    ResponderEliminar
  6. Ás vezes não é preciso correr depressa, mas sim parar para pensar. Ás vezes não é preciso olhar em frente, mas por momentos estares sentado de olhos fechados, de forma a tomares as tuas decisões, como TU queres, em plena liberdade de consciência.

    Vive a vida que tu queres. E que por mais que seja em função da felicidade desse amor que tanto procuras, que seja pelo amor próprio que te corre nas veias. Sê o que és, porque te faz bem. Nada mais importa.

    É sempre delicioso, ler o que escreves e voar em pensamentos :)

    ResponderEliminar
  7. Mais um bom conjunto de palavras, como é habitual!
    Abraço, padrinho!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário