As minhas palavras de hoje...


Escarlate este meu sentimento voraz, esta carta escrita sobre montes erigida em que a tua alma almeja tocar. Coração gritante, epopeia de aventuras e lutas travadas no antagonismo delineado entre o reio de avançar e a intensidade do sentir. Criança espelhada em sonhos presentes, um homem que viu crescer o amor dentro do seu peito, dentro de um mundo em que as palavras ecoam nas melodias sobrepostas que retratam vidas que poderiam ser nossas. É o momento parado, a espera de um reflexo em que o olhar ateste toda uma verdade, toda uma complementaridade de tantas coisas, que tão pouco são explicadas. Amores cruzados, cruzados destinos que arrastam corpos por entre a multidão cega que não vê o sentir, corações verdadeiros que se distinguem dos demais em desejos carnais que se ancoram em histórias eternas na memória de quem as vive. Simples toques, simples diferenças que diferenciam pessoas, que fazem com que cada alma tenha a sua essência e que cada essência cative uma outra pessoa. Nada é sinónimo de pertença, vivemos na mutação dos dias e na imensidade da efemeridade que tantos conhecem dizendo amar. É bom, bom acordar de manhã, sentir o sol e acreditar em tudo o que parece ser desacreditado, sonhar num mundo sem sonhos, amar num mundo que desconhece o que é amor. É importante, importante sermos pessoas de valor, herdarmos o que de melhor nos passaram, vivermos segundo as nossas verdades, agarrando o que nos faz bem, largando o que não faz parte da nossa história. Que sejamos guerreiros, pássaros livres de uma só paixão, que sejamos humildes na nossa forma de sentir e excêntricos na nossa forma de amar, que sejamos apenas nós mesmos, que amemos o que os outros são e que sejamos amados por aquilo que, realmente, somos...




No final de tudo isto, o que interessa é que vivamos o que queremos, porque se não o fizermos, acabamos por não viver, acabamos, sim, por apenas passar ao lado da vida...




Comentários

  1. é mesmo bom acordar de manhã :) beijinhos*

    ResponderEliminar
  2. Somos poucos que acordamos para amar. Mas é realmente isso que devemos fazer, amar quem somos e amar os outros, no seu mais intimo e verdadeiro ser.
    Adorei, como sempre. E a musica, nao conheci mas gostei :)
    Um beijo

    ResponderEliminar
  3. Olá "Pedacinhos" :)
    Adorei o teu texto e retive uma frase, que considero muito importante e que engloba tudo aquilo em que acredito: "Nada é sinónimo de pertença,...efemeridade que tantos conhecem dizendo amar".
    Como sempre genial!

    Um beijinho :)

    ResponderEliminar
  4. Em relação ao teu comentário confesso que fiquei confusa. Se quiseres clarificar estás a vontade.
    Respondendo, ainda assim.. e porque o amor combina muito bem com musica
    poderia dizer
    "love remains the same", mas n seria verdade... Quando muito, se não muda, evolui. a passadas largas..
    boa noite*

    ResponderEliminar
  5. Só agora li o teu texto.
    Larga o receio, sem medos!
    Sabes que a cada segundo que passa a vida nos escorrega por entre os dedos.
    Sim, demasiado tarde existe MESMO.

    Uma dica, caso te interesses por cinema : Griffin and Phoenix, de 2001 ou 2003 salvo erro.. Vi há uns tempos ;)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário