"Não quero viver num mundo como este..."

Não quero...
Não quero viver num mundo como este. 
Num lugar em que o amor se perde na guerra, 
Em que as lágrimas escorrem dos olhos de quem sofre,
Das almas de quem pede um pouco de compaixão. 
Eu não quero...
Não quero sentir a amargura que tantos sentem,
A frieza de ver uma criança morrer numa praia que deveria ser o seu refúgio,
De ver uma mulher caída na rua... depois de perder uma batalha,
Contra quem sempre lhe agrediu o futuro e o coração.
Não quero ver a fome em cada corpo, em cada rosto que se vê marcado por cicatrizes,
De palavras caladas... de quem apoia a morte desta terra. 
Eu não consigo... por mais que tente não consigo compreender como chegamos aqui...
Como estamos neste fim... sem sequer tentarmos voltar atrás.
Mas que mundo é este em que eu vivo?
Em que as pessoas deambulam pelas avenidas desertas,
Em que os jovens não podem sonhar, em que os homens não podem em amar, em que os idosos só têm de morrer?
Que mundo é este?
Em que a solidão vive na porta ao lado, em que ninguém é respeitado, em que ninguém pode ser, realmente, feliz?
Eu não quero...
Não quero mais ver o que me mata por dentro.
Não quero sentir esta dor que me rasga o peito,
Que me mostra ao seu jeito... que por mais que eu fale de amor... não consigo mudar o mundo.
E custa-me! 
Custa-me olhar à minha volta e ver tanta gente infeliz,
Tanta gente que diz que está tudo bem sem o estar,
Que tanta gente minta a si mesma... que aqui neste mundo é um bom lugar.
E eu peço...
Não quero viver neste mundo.
Em que crianças são vendidas, em que artistas são esquecidos, em que os romances são proibidos.
Em que a dor assumiu o lugar do amor...
E o que resta? - pergunto eu.
O que sobra dos pedaços que caem de nós?
Daquela luz que temos e que se vai apagando com o tempo?
Aqui... ninguém vive!
Aqui... sobrevive-se a tudo isto que passa na televisão...
A quem convence uma nação que tem de fazer mais esforços,
Que tem de viver na pobreza.
Dói-me ver isto...
Ver que as oportunidades não existem. 
Que a ajuda não existe. Que a solidariedade não existe. Que nem a fé... jamais existe. 
Mas nós vamos sempre andando...
E enganando o nosso coração.
Amanhã será um novo dia? Talvez até o seja mas...
Hoje eu não quero viver neste mundo,
Talvez hoje... eu não queira mais sentir a dor de todos (dentro de mim).

Imagem relacionada

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"E tudo o que eu pedia... era que voltasses..."

"Amo-te para além do teu corpo."

"Amores que não se apagam"