"Deixa-me morrer!"

Deixa-me um tempo... um só momento. Para eu estar mais em mim, para encontrar-me muito para além desta dor que sinto.
O meu coração explode em clamores, em tremores que me levam para longe daquele sorriso que já não consigo conhecer.
Quero viver! 
Viver muito mais do que esta mágoa, bem mais do que este silêncio em que guardo tudo aquilo que sofro, calado!
Deixa-me dormir... um só segundo. Esquecer-me do mundo e poder não sentir. Não ver. Não saber o que é mais feito de nós.
Quero estar a sós, mergulhado nas minhas próprias lágrimas, envolto nos meus próprios fantasmas.
Hoje... esta dor parece tão voraz... Capaz que me levar à loucura das minhas próprias memórias, das histórias que tento reviver - só para que me reste um pouco de esperança.
Deixa-me um tempo... esquece-te de mim!
Segue o teu caminho muito para além do meu fim, para lá das minhas mãos que se escondem, que fazem das minhas próprias mentiras o seu porto-de-abrigo.
Sinto-me perdido...
Tão perdido neste caminho, neste destino que se esquece tantas e tantas vezes de mim.
Lutar?
Lutar não luto mais, não me entrego a esses "ais" que tentam camuflar uma insegurança que me mata aos poucos. Que me devora o peito sem piedade.
Agora... não me procures mais. Não me firas mais.
Deixa-me morrer... dentro do teu coração!



Comentários