"Continuo a amar-te... depois de falhar."

Se te pudesse dizer tudo... jamais deixaria o tanto que calei e não partilhei contigo. Faria muito mais do que aquilo que fiz, lutaria por nós até ao final dos nossos dias, enchia-te de certeza e não de tristezas.
Se eu pudesse... neste mesmo momento, abraçava-te, juntava-te contra o meu peito e dava-te a segurança que sempre me pediste (e que eu não te soube dar). 
Perdi-te! Pedi-te no momento em que te passaste a amar mais do que me amavas a mim, no dia em que decidiste colocar um fim. Em que foste, verdadeiramente, ser feliz.
E se eu pudesse...
Se eu pudesse, agora colocaria o meu mundo nas tuas mãos, colocaria todo o meu sentimento nos nossos beijos, toda a minha verdade naquele olhar em que fugi de ti, em que fugia de tudo o que um dia poderíamos ter sido.
E eu fui cobarde...
Fui tão cobarde quando te vi saíres e nem consegui dizer-te nada, que te motivasse a ficares nos meus abraços.  
E se pudesse... só mais uma vez...
Não me calaria mais. Não te causava mais "ais", e dessas lágrimas faria nascer sorrisos.
Mas... não consegui.
Fui o princípio do meu próprio fim, e esqueci-me que para amar temos de ser dois. 
Agora... não existe depois, existem sim caminhos que seguem, amores que não esperam, pessoas que não nasceram para viver sem amor.
E tu és uma delas.
E eu continuo a amar-te. Deste meu jeito errado. Deste meu modo falhado....
Mas sempre na certeza de que mudaste a minha vida, que me ensinaste a não ter medo do meu próprio amar. 



Comentários