"Apenas… um verdadeiro amor."

Sente-me… por maior que seja esta saudade que sentimos, por mais quilómetros que separam os nossos corpos.
Sente cada pedaço de mim, cada memória de tudo o que vivemos, de tudo o que é meu… e só a ti entrego.
Abraça-me nas noites em que te procuro, em que procuro o calor de tudo aquilo que somos – sempre que nos unimos um ao outro, como a chama que arde sem apagar.
Ama-me… assim como eu amo cada recanto teu, cada pormenor daquilo que és, daquilo que eu quero, dos sonhos que contigo consigo partilhar.
Sente-me… nesta ansiedade que temos de correr um para outro, de viver este sentimento tão louco – tão forte como as certezas que nos agarram a um mesmo destino.
E se soubesses… se soubesses o quanto te amo, o quanto espero que os nossos lábios se toquem, que as nossas mãos se unam, que os nossos olhares se cruzem.
Só te sei esperar…. Esperar na certeza de que o nosso lugar é onde estamos juntos, onde podemos viver a liberdade de um querer, de um cuidar que não termina, de um abraço que não se esquece.
Sente-me… por maior que toda esta espera seja, por mais que a dor nos enlace, nos trespasse, nos faça cair nas lágrimas de uma falta maior do que nós mesmo.
Quanto temos a certeza de que amamos e somos amados… nada se torna mais forte do que as nossas próprias verdades, do que aqueles segundos em que sustemos o ar, em que mergulhamos no nosso amar… e somos felizes sem nada temer.
E é tudo isto que nós somos… lutamos um pelo outro, corremos na direcção daquilo que nos completa.
E somos loucos. E somos poucos. E somos os dois.
E somos… amor.
Apenas… um verdadeiro amor.



Comentários

Enviar um comentário