"Despe-te..."

Despe-te e seduz-me...
Faz-me pedir pelo teu corpo, amar-te que nem um louco.
Faz-me ser teu... por inteiro.
Beija-me enquanto eu te seguro contra o meu peito,
Enquanto os nossos desejos pedem mais,
Enquanto somos "animais" e nos amamos: como selvagens. 
Despe-te...
Deixa-me admirar-te sem roupa, tocar-te a pele,
Enquanto nos fundimos, enquanto nos vimos,
Os dois. Em sorrisos cúmplices,
Em lençóis desfeitos.
Somos tão imperfeitos, mas no sexo alcançamos a perfeição,
A tesão que não se esgota, 
Aquela pequena vitória... de prolongarmos o orgasmo.
E é assim, assim que nos entendemos,
Assim que nos resolvemos.
Numa cama usada,
Numa confissão ousada,
Que pede para que nos amemos... só mais uma vez.



Comentários

  1. Hum e de deixar com vontade de largar tudo aqui e correr para matar o desejo que faz com que as entranhas clame por ti, meu lindo olhos brilhantes.....

    ResponderEliminar

Enviar um comentário