"Amo-te tanto..."

Existem dias em que me deito sobre esta cama... e procuro por ti,
No silêncio deste quarto, destas quatro paredes que parecem tão vazias.
O vazio destes dias é tão maior do que eu, maior do que este meu peito,
Que pede por um beijo, por um abraço apertado,
Capaz de romper com esta saudade que sinto.
Não te minto... quando digo que não suporto um dia sem sentir a tua pele,
Sem juntar o teu rosto contra o meu peito, enquanto nos amamos em silêncio,
Enquanto nos perdemos na respiração que nos mantêm vivos.
Amo-te tanto...
Tanto que não suporto a tua ausência, enquanto o teu cheiro perdura na minha roupa,
E entranha-se no meu corpo, pelos poros que te conhecem tão bem, 
Que se alimentam de todos os nossos momentos de prazer,
De toda a cumplicidade que criamos na verdade daquilo que somos.
Existem estes dias para me provarem que o nosso amor é tão grande,
Tão mais intenso do que a chama que arde neste nosso olhar,
Nesta nossa forma de amar, e de ver no amor...
A única forma de, verdadeiramente, sermos felizes.


Comentários

Enviar um comentário