"Sinto a tua falta..."

Sinto a tua falta... não nego. Sinto a falta que causas em mim.
Sinto uma tempestade de sentimentos que vasculham o meu corpo, que estremecem a minha pele. Saudades do teu cheiro, a falta do teu beijo. Aqui... sinto-me sem mim mesmo.
Quero-te. Quero que voltes e retornes aos meus braços, que ficas comigo durante a noite que cai tão só (sem ti), durante as horas em que procuro pelo teu toque. Pelo teu sorriso. Pelo teu amor.
Sou tão incompleto quando estás longe, sou tão metade quando tu não me tornas inteiro, quando não me dás alento e partes, para com a vontade de ficar entre os meus braços.
Sinto a tua falta... a falta de tudo o que sou contigo, de tudo o que vivo a teu lado. Das nossas aventuras pelo desconhecido, de tudo o que fazemos e de tudo o que te digo.
Amor... volta rápido!
As memórias assolam-se no desejo de te ter para sempre, sem qualquer partida, sem termos de ser uma despedida que tentamos adiar - a cada instante em que estamos juntos.
Amo-te tanto, amo-te tanto que o tanto que te digo amar nada é comparado com o que sinto, com tudo o que não minto sempre que te dou tudo de mim. Sem qualquer medo. Sem qualquer barreira. Sem qualquer resistência.
Peço-te que me sintas, que me sintas mesmo com esta distância que separa os nossos corpos. Sente-me cada palavra, em cada sonho em que visito o teu espaço, em que me deito a teu lado, em que acaricio o teu rosto.
És tudo aquilo que me faz falta, és um desejo que não acaba, um presente que se vê crescer num futuro tão nosso, num poema que te escrevo e envio em pensamento.
Sinto tanto a tua falta... Sinto tão pouco ao não sentir-te por perto.


Comentários

Enviar um comentário