"Voltas mesmo a que horas?"

Cada segundo que vivo contigo... são como anos de vida que me dás,
Como sonhos que realizo na palma das nossas mãos, nos dedos que se entrelaçam,
Nas memórias e nas fotografias que temos espalhadas pela casa - 
Em molduras que compras (sempre que nos aventuramos a conhecer um outro lugar). 
Hoje acordei com o cheiro da tua pele no meu corpo, confesso-te que sinto a tua falta.
Vê se voltas rápido... porque este homem não se sente completo sem ti.
Procurei pela tua respiração esta noite, a cama sem o teu corpo a meu lado é vazia.
E eu confesso-te que já não estou habituado a sentir-me sozinho, já não estou habituado a acordar e não ter o teu "Bom dia" - que me faz acreditar que o paraíso existe e que ele está bem na minha frente, bem no teu sorriso.
Se existisse uma força superior a todos os homens, um ser iluminado que, mesmo sem nada dizer, seria capaz de mudar o mundo, esse ser só podia ser igual a ti; ou melhor dizendo, parecido. Porque tu és inigualável.
Amo-te, e essa é a minha maior certeza, e sei que será a maior certeza que irei ter até à minha morte ou então... a tudo o que vier depois dela.
Tu és inesquecível e insubstituível, e essa é a tua maior arma. Entras, marcas a tua presença e fazes-me sentir a tua falta, a cada milésimo de segundo, a cada suspiro que dou (suspirando de amores por ti).
Vê lá é se voltas rápido. Vem matar-me a saudade, o desenho, a vontade de te amar,
Nesta cama. De manhã. Mesmo ao acordar.
Não demores, porque eu aqui e tu aí não funciona, nem que seja por um dia ou por dois. O nosso lugar será sempre ao lado de quem sentimos amor. E o meu é ao teu, o teu ao meu.
Voltas mesmo a que horas? 

✤  Espaço Livre  ✤  ~Natthy

Comentários

Enviar um comentário