"Não me fiques a olhar..."

Não me fiques a olhar… despe-te e deita-te a meu lado.
Hoje quero amar-te o corpo, percorrer cada pormenor da tua pele e satisfazer-te o desejo.
Anseio e conto as horas para ter os teus beijos, para sentir os espasmos de prazer que nos correm nas veias, que incendeiam o nosso olhar e que nos roubam o juízo.
Vamos ser loucos! Amarmo-nos como amantes vivos, como seres que se conjugam nas suas imperfeições, que se fundem em confissões – feitas à luz de um luar: só nosso.
Contigo vivo a adrenalina de amar sem tempo, de sentir cada momento em que nos entregamos um ou outro. Sem pudor. Sem temor. Só amor.
Não me fiques a olhar… enlaça-te nos meus braços.
Envolve-te no meu corpo, antes morto, agora tão vivo, com tudo aquilo que preciso e que só tu me sabes dar.
Vem amar-me e eu amar-te, em qualquer parte. Nesta cama. Neste chão.
Vem viver a paixão, sentir a tesão de um sentimento carnal, de um desejo tão longe de ser banal – como aquele que deixamos no nosso passado.
Apenas entra e não me fiques a olhar…

Usa-me e abusa-me. Quero ser teu. Apenas teu.


Comentários

  1. "Anseio e conto as horas para ter os teus beijos..."

    ResponderEliminar
  2. Nossa, que poesia maravilhosa!
    Amor, gostoso de sentir!
    Parabéns

    ResponderEliminar
  3. Mais um texto que me deixa sem palavras!

    Abraço
    Luísa

    ResponderEliminar

Enviar um comentário