"Espera por mim"

Silencia-me num beijo, num sopro frio de sentimento,
Em promessas rasgadas de mentira - em mãos repletas de sonhos.
Ecoa o teu amor no meu peito, a garra da paixão que sacia os nossos corpos,
A fragmentação dos nossos sonhos - que repartimos: em ilusão.
Ancora-te nos meus braços e faz do meu ser o teu lar,
Da nossa casa um lugar em que as memórias fazem sorrir,
Em que as juras são de um amor eterno, capaz de vencer a morte,
Passar pela efemeridade de um lutar constante,
Pela vontade de sermos bem mais... do que simples amantes.
Rasga-me o medo, a saudade em que adormeço (numa cama que grita o teu nome).
O meu ser já se cansa da espera... em que espero a tua chegada,
Para ficarmos unidos - sem pontes nem oceanos.
Hoje... apenas peço que não me deixes mais partir e que tu...
Tu não partas sempre que quiseres ficar,  porque...
O silêncio fala nas expressões do nossos olhar, no tremer do corpo,
Nas lágrimas que escorrem e que pedem:
Espera por mim. Espera por mim.


Comentários

  1. Bom dia!
    Tão bonito...
    Continuação de bons momentos de Inspiração
    Bom fim de semana
    Cumprimentos,
    Teresa P.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito mas muito obrigado pela simpatia, Teresa.

      Um abraço e votos de um óptimo fim-de-semana. :)

      Eliminar

Enviar um comentário