"Entre beijos e mordidas"

A paixão devora-me o corpo,
Sacia-me o peito em beijos,
Em rasgos de vida,
Em desejos de morte.
E eu... louco, entrego-me a ti,
Num amor que não tem fim,
Numa cama repleta de vontade
(em lençóis de cor escarlate).
Caímos na insanidade, 
Na ansiedade de sermos apenas um,
Livremente. Ardentemente.
Imortalmente - em segredo.
A paixão devora-me a alma,
Tira-me a calma e faz-me teu,
Sem qualquer pudor.
Sem qualquer temor.
Dando-me ao desejo saciado...
A dois.
Nada deixamos para depois
As roupas espalhadas,
As confissões ousadas,
Entre beijos e mordidas,
Entre prosas e poesias,
Devoramo-nos, e pronto!
Matamo-nos em amor!


Comentários