"Ouve-me..."

Amar-te-ei sempre… sempre que o sonho chegar e eu partir de mim,
Amar-te-ei na saudade que tenho aqui – neste peito que te pertence,
Desde o primeiro momento, desde o primeiro batimento,
Amar-te-ei… vorazmente.

Amar-te-ei em cada palavra calada,
Na minha vontade encerrada,
Neste meu corpo que entrego a ti – na ausência de um fim,
Amar-te-ei com tudo o que tenho... em mim.

Amar-te-ei na noite em que findo na saudade,
Em que sou metade – ao não estar nos teus braços.
Amar-te-ei em pedaços, em memórias que não consigo esquecer,
Desse olhar em que só me sei perder…
Amar-te-ei enquanto poder. Amar-te-ei eternamente!

Amar-te-ei dormente…
Na euforia de viver tal amor,
De ser teu sem medos, de ser nosso sem segredos.
Amar-te-ei e terei a felicidade nos meus dedos,
Naqueles que entrelaço com os teus – em epopeias de amor.

Amar-te-ei com todo o meu fulgor,
E mesmo que a morte me mate,
E, mesmo que o destino me maltrate,
Amar-te-ei calado – gritando que sou teu…
Teu para sempre.


Comentários