"Olhares Profundos"

São águas... profundas,
Profundos amores vivos,
Cravados em coração que geme de saudade,
Em abraço apertado - na noite.
São as águas...
As ondas que envolvem os corpos,
Que declamam o sentimento,
Em olhares de contentamento,
Em mãos... cheias de nada.


São águas... revoltas paixões,
Corpos despidos e nus,
Na nudez da vontade que se exprime,
No medo que se comprime...
Em beijos - osculados. 


São ventos que nos assobiam a verdade das palavras, 
O verdadeiro sentido do sentimento, 
Num rasgar de tempestades que se comprimem a nada... 
Quando nos juntamos numa eternidade incandescente.


São olhares profundos,
Toques incautos, suspiros sôfregos,
Que nos arrepiam a pele, 
E que fazem com que percebamos o que realmente importa. 
Apenas eu e tu.


São o âmago que se rasga em juras,
Em detrimento das amarguras - que a água lava.
São a sede de infinito, o amor descrito,
Nas paredes daquela casa,
Na vida de quem por lá passa.


São águas... profundas,
São eternidades utópicas...
Que se abraçam na realidade,
De tudo o que são - cravados num mesmo destino.


lost water boy man dead


Comentários