"Rua"

Não quero ser a rua! Aquela que sente sem sentir,
Que não fica na memória da história,
Da história de alguém - para a contar.
Não quero ser rua!
Rua pisada que não é falada,
Escutada pelo coração de quem ama
(amando o que não tem em si).

Não quero ser rua... em que as vidas não se cruzem,
Em que os sonhos sejam esquecidos - perdidos em silêncio,
Largados a um vento sem rumo.
Não quero!
Não quero nem espero ser - a rua! A rua,
Que não é minha nem tua,
Que não é de ninguém...

Não quero e não me deixem ser essa rua!
Em que não se vivem as calçadas,
Em que pedras choram de saudade,
Onde a chuva bate - onde o tempo... arde.

Não quero!
Não quero ser essa rua.
Essa sem ser voltada para o mar,
Em que não se sabe o que é amar - sonhar.

Por isso... não quero ser a rua de ninguém,
Pisada. Usada. Gasta!

Quero apenas ser...
A rua de quem amo.


Comentários

  1. :) André,
    A escrever desta maneira terá garantidamente uma Rua Sua que será o orgulho de quem ama...

    Abraço

    ResponderEliminar

Enviar um comentário