"Barco de papel"

Leva-me daqui... desta saudade que tenho de ti - que tenho de nós.
Agarra-te ao meu peito e faz de mim o teu homem, o teu herói,
Aquele que te aquece nas noites frias deste Inverno,
Fazendo-se tornar o que nunca foi, dando-te tudo o que pode dar,
Nas palavras doces que te escreve - sentido cada batimento do teu coração
(na imensidão de tudo o que contigo vive - vivendo a liberdade de amar).

Leva-me daqui... fugiremos num barco de papel e navegaremos no nosso mar,
Nas ondas que nos envolvem em desejos, que nos saciam em beijos
(fazendo-nos renascer um no outro - sendo um uno coração, em amor).
Leva-me daqui... faz-me ser o principio de um fim que não se esgota,
Que não se apaga em qualquer volta - uma eternidade expressa em olhares
(em abraços apertados que nos tornam amantes do nosso próprio sentimento).

Leva-me daqui... e faz-me teu, meu, torna-me nosso,
Em cada tempo em que tempo não apaga tudo o que sinto,
Tudo o que somos - ao sermos um do outro - livres, apaixonados.
Leva-me daqui... construiremos um lar feito de amor, 
Ao redor de tudo o que não nos pertence.
Cuidado somente... do coração um do outro.

Leva-me daqui... no nosso barco de papel.


Comentários

  1. É mesmo fantástico cada dia que me sinto colada a este pedaço...
    André não sei mais o que dizer!!!
    Tenha uma óptima semana :)
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tenho palavras para agradecer tamanha simpatia.

      Um abraço e votos de uma boa semana :)

      Eliminar
  2. Grande poema, lindo e postado no dia dos meus anos. Obrigada por escrever tão bem e por nos permitir continuar a sonhar e a acreditar que o Amor está vivo nos corações dos que o anseiam! Um beijinho!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário