"Arranquem-me o coração"

Arranquem-me o coração... deixem-me padecer,
Nos sonhos que me roubam - não roubando o meu amor.
Ficarei calado no silêncio das palavras que não redijo,
Na sombra das melodias que ouço - não partilhando com o mundo
(partilhando, somente, com quem amo de forma desmedida).

Arranquem-me o coração...
Que ele continuará a bater noutro corpo, 
Num ser que me sabe amar muito para além do meu físico
(deste meu corpo que envelhece num amor que rejuvenesce, diariamente).

Arranquem-me... o coração,
Que poderei eu ser um mendigo, um esquecido da vida,
Um perdido.
Arranquem-me os sonhos, prendam-me ao vazio,
Façam de mim um ser inanimado. 

Matem-me, roubem-me e...
Dilacerem-me o coração,
Que, mesmo assim,
Continuarei a amar... quem amo.



Comentários

  1. Sempre certo... o seu coração já bombeia os seus textos, está nos nossos silêncios...
    Adoro!
    Tenha um bom dia.
    Abraço :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigado por todo o apoio e por todo o carinho.

      Um abraço e bom dia :)

      Eliminar

Enviar um comentário