"Desassossego"

Ecoa o desassossego do acto, a combustão do sentimento,
Em clareiras de um amor - fragmentos de desejo.
Desfazem-se no beijo, em melodias dispares,
Entre ósculos e olhares – fundem-se em prazer.

Silencia-se a voz, dilacerando-se o temor e retraçando a pele.
O corpo enlaça-se, trespassa-se, embaraça-se e…
Ficam os dois – entregues à paixão.
Tornam-se erupção, coração alado de unos batimentos,
Revoltos contentamentos – de amantes: amados ao luar.

Ocultam-se ao transpor e passam a ser,
O corpo, a carne, o deleite – de um átimo, de uma ocasião.
Consumam a delonga e findam-se na emoção,
Renascidos e reinventados, naquele anseio,
Naquela exaltação – consomem-se em dileção…




Comentários

  1. Eu não tenho mais palavras, os seus textos são um mundo mágico...

    Parabéns mais uma vez!

    Uma óptima noite
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mais uma vez agradeço pelas palavras sempre simpáticas.

      Tenha uma excelente noite.

      Um abraço :)

      Eliminar
  2. MEU... "OO" ... que SUPER lindo seu texto!
    Só tenho que te parabenizar por escrever tão maravilhosamente.
    Um super abraço!

    Lyu Somah
    http://lyusomah.blogspot.com.br

    ResponderEliminar

Enviar um comentário