"Segura-me"

Não me deixes cair na dor,
Nos medos que me dilaceram a alma, o coração.
Não me enchas de escaras o peito,
Deste ser que te ama com toda a força do seu sentir.
(Nos batimentos que clamam por ti... sem mentir.)
Não me afastes do teu amar,
Levando-me para o escuro em que não quero permanecer.
Não quero perder-me... perder-me de ti.

Não mintas ao homem que te ama puramente,
De forma tão segura - como aquela em que acordo contigo.
(Nas noites em que me perco em sonhos, em que sonho... connosco.)

Não me deixes cair, meu amor.
Em esquecimentos, em distâncias tão saudosas,
Como aquelas em que nos fundimos em prosas,
Em poesias que te escrevo - confessando todo o meu querer.

Não me largues esta noite.
Por aqui tudo é tão vazio.
Não me deixes cair.
Apenas segura-me... meu amor...


Comentários

  1. Escreve com tanta profundidade este sentimento puro, que me emociono sempre.
    Parabéns e obrigada.
    Uma noite feliz.

    ResponderEliminar
  2. "Apenas segura-me..." escreves tão bem :)

    ResponderEliminar
  3. Como sempre está um texto fantástico, palavras extraordinárias como é costume. Adorei!

    http://ummarderecordacoes.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar

Enviar um comentário