"Amei-te desde o primeiro momento..."

Amei-te desde o primeiro momento, desde o dia em que chegaste,
Dissipando o negro dos meus dias - enchendo o meu peito de claridade.
Amei-te... na primeira palavra que me dirigiste, no olhar que não esqueço,
Sempre que o sono vem e eu adormeço (no sonho de sentir-te: em mim).
Amei-te, pertencendo-te sem medo de falhar, de errar no caminho,
Naquele em que tantas vezes tropecei - caindo no negrume da dor que tu curas-te.
Amei-te de peito exposto, entregando o meu corpo ao desejo partilhado,
Desnudando a alma que me reveste, que me faz bater este coração (tão teu).

Amei-te... apenas amei-te sem que o desgosto viesse, sem que morresse,
Na saudade que me abraça, no tempo que passa - fazendo medrar todo este sentimento.
Amei-te em fantasias que agitam o meu imaginário que revoltam o meu mundo ao contrário,
Para me ver cair nos teus braços, naqueles em que me perco em mim - encontrando-me em nós.

Amei-te, desde a primeira hora em que soube que serias a minha metade,
A raridade que nunca pensei existir - negando ao meu peito que tu virias.
Amei-te e... hoje ainda te amo com mais intensidade do que um dia sonhei,
Do que alguma vez acreditei amar tanto alguém... como te amo...


Comentários

  1. Poção diária! Ou melhor, elixir dos sentidos...
    Estou enfeitiçada.

    Fique bem.

    ResponderEliminar
  2. Identifico-me tanto com estas palavras, tanto. Fiquei sem saber o que dizer. Adoro o que escreves simplesmente.

    Cumprimentos!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário