"Simplesmente...Amo-te"

Somos feitos de carne. Deste sentimento revolto,
Que revolta, os nossos corações... alados. Que batem em verdades,
De um eterno amor, que conjugamos... os dois.
Somos tempos entrelaçados, em vidas vividas.
Na saudade que fica, sempre que procuramos o beijo,
Na noite fria, em que abrigamos os corpos... naquela cama.
(Vestida de lençóis de linho, em cor escarlate)

Almejo a tua chegada, a esta terra que me pertence.
A estes lábios, que provam os teus,
Em cada recanto, deste sentimento. (Que segredo... ao teu ouvido.)

Quero-te em mim, por mais tempo que passe,
Por mais sonhos que sonhe. 
Saberei que sou teu, tal como tu me pertences.
Na cumplicidade, que tão bem conhecemos.
Quando sentimos a voz, do outro, 
Como tudo aquilo que é preciso...
Para sermos, completamente, felizes...



Comentários

  1. "O feitiço da lua" sofreu quem escreve assim. Uma noite com muito brilho!

    ResponderEliminar
  2. "Eu sou do meu amado, e o meu amado é meu;ele apascenta entre os lírios" Cânticos 6:3
    Um versículo da bíblia que amo...essa questão de pertencer a alguém é bem forte...ehehe
    Um beijo!
    www.escritoraadriana.com

    ResponderEliminar
  3. um poema magnifico....adorei!!!

    os meus parabéns

    http://queriduxa.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Aqui está mais um pedaço de arte, é fantástica a forma como tu escreves! Dá-me sempre imenso prazer visitar o teu blogue :)

    http://ummarderecordacoes.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar

Enviar um comentário